CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
'Tão certo quanto eu existo, Deus existe!'
Testemunhos

'Tão certo quanto eu existo, Deus existe!'

'Tão certo quanto eu existo, Deus existe!'

Conheça a história do jovem Alexandre, que se converteu à fé católica depois de descobrir as “cinco vias” de Santo Tomás de Aquino.

Equipe Christo Nihil Praeponere16 de Junho de 2015Tempo de leitura: 4 minutos
imprimir

Imerso em uma crise de fé, o jovem Alexandre saiu à procura de respostas. Protestante, o seu processo de conversão começou depois que ele descobriu as "cinco vias" de Santo Tomás de Aquino. "Convenci-me plenamente da existência de Deus (...) e sei que tão certo quanto eu existo, Ele existe!" Conheça o seu testemunho e o caminho que ele percorreu até converter-se definitivamente "à verdadeira Igreja de Cristo".

Revmo. Pe. Paulo Ricardo, salve Maria!

Meu nome é Alexandre, tenho 20 anos, sou morador de Francisco Morato (SP). Eu era protestante, recentemente me converti à fé católica, e gostaria de testemunhar a minha conversão, afinal, o excelente trabalho que o senhor faz foi de grande valia para que eu me convertesse.

Nasci em uma família protestante, e até certa idade não sabia absolutamente nada sobre a Santa Igreja; sabia apenas o que ouvia falar dos demais protestantes e nas salas de aula.

Desde a minha infância, fui membro da denominação protestante Congregação Cristã no Brasil. Quando atingi os 13 anos de idade, fui batizado (lá só são batizados os maiores de 12 anos), e desde então fui fiel a tudo que lá aprendi, até a minha conversão à verdadeira Igreja de Cristo.

Por volta dos meus 17 anos de idade, adentrei numa terrível crise de fé: tinha dúvidas acerca da existência de Deus. Na Congregação não obtive respostas satisfatórias, diziam que Deus deveria ser "sentido", não conhecido com o intelecto; mas como eu não conseguia "sentir" nada, comecei a pensar que havia algo de errado comigo; logo percebi que não havia nada de errado comigo, eu queria crer em Deus, queria amá-Lo, mas não queria ter uma fé irracional, fundamentada somente em emoções.

Desde então comecei a procurar respostas em outros lugares, estudei a história e comparei as doutrinas das diferentes denominações protestantes, e até mesmo de outras religiões; não encontrava respostas satisfatórias em nenhuma. Todavia, sempre ignorava a Igreja Católica, sua história, suas doutrinas, seus argumentos: não procurava sequer saber, tamanho desprezo eu tinha pelo que achava ser a Igreja Católica, pelo tenebroso espantalho que me era apresentado.

Em meio a esta procura, esbarrei com a vídeo-aula do professor Orlando Fedeli sobre as provas da existência de Deus. Não sabia que ele era católico. Pela grande inteligência e conhecimento que ele demonstrava, e pelo que eu imaginava ser o catolicismo, não passou pela minha mente que aquele sábio professor era católico, até que ele disse duas coisas que naquele momento me chocaram: que Maria é sempre virgem e medianeira de todas as graças, e que devemos obedecer o Papa. Estranhei naquele momento, mas me convenci plenamente da existência de Deus. Assisti àquela aula ao menos duas vezes; minha fé havia sido renovada, desde então tenho firme convicção da existência de Deus, e sei que tão certo quanto eu existo, Ele existe!

A partir deste primeiro contato com as aulas do professor Orlando Fedeli, passei a considerar a Igreja Católica ao comparar a história e a doutrina das diferentes vertentes. Foi nesta fase que o site padrepauloricardo.org me ajudou muito no processo de conversão, que já havia iniciado.

Sempre pesquisava o que as diferentes igrejas diziam sobre determinadas doutrinas, comparando-as sistematicamente, pesando os argumentos, sobretudo nos "pontos de atrito"; aos poucos, de última, a Igreja Católica passou a ser a primeira que eu consultava, antes mesmo da própria denominação de que eu fazia parte. Isto se deu devido à clareza, à solidez e à superioridade com que o senhor, Padre Paulo Ricardo, e o professor Orlando Fedeli, apresentavam a doutrina católica e a história da Igreja.

Com o tempo e o estudo, meu intelecto foi se convertendo, mas meu coração ainda estava aprisionado aos meus antigos círculos sociais, inteiramente protestantes. Mesmo sendo um protestante, mas já de intelecto católico, comecei a rezar a Ave Maria. Em alguns meses, a minha vida deu uma completa reviravolta, e no dia 3 de novembro de 2014 entrei pela primeira vez em uma Igreja Católica (antes eu tinha medo, pois na Congregação diziam que quem entrava num ambiente católico prestava culto aos demônios).

Andando pelo centro da cidade de São Paulo, acompanhado de um amigo protestante, em um ato de rebeldia contra as recomendações da Congregação Cristã no Brasil, entrei na Catedral da Sé, muito bela, mas que não me alterou em nada. Alguns minutos depois, em frente ao Mosteiro de São Bento, quis entrar e, ao entrar e ver a imagem de Cristo crucificado sobre o altar, os últimos obstáculos que existiam no meu coração se dissiparam. Naquele dia, eu saí da Basílica do Mosteiro de São Bento convertido, convicto em seguir a fé católica. Dia 31 de maio foi o meu batismo no mesmo Mosteiro (a forma com que a Congregação ministra o batismo foi considerada inválida).

Enfim, peço que o senhor reze por mim e por minha família, para que eu persevere na fé, sendo aperfeiçoado até atingir o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo, e minha família volte para a única e legítima Igreja de Cristo (cf. Ef 4, 12-13).

Que Nossa Senhora continue a te iluminar, e que o Senhor Deus continue a abençoar o seu trabalho, para que produza ainda mais frutos!

Com a sua bênção,

Alexandre Gonçalves Andrelino.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Uma só coisa é necessária
Padre Paulo Ricardo

Uma só coisa é necessária

Uma só coisa é necessária

A pregação do amor a Deus e da salvação das almas é a única coisa que o Senhor espera ouvir dos lábios de Seus sacerdotes.

Equipe Christo Nihil Praeponere14 de Junho de 2015Tempo de leitura: 2 minutos
imprimir

Reverendíssimo Padre Paulo, 

O apóstolo São João, ao falar sobre a virtude da caridade, diz que "no amor não há medo. Ao contrário, o perfeito amor lança fora o medo, pois o medo implica castigo, e aquele que tem medo não chegou à perfeição do amor" (1 Jo 4, 18). E Santo Agostinho, para ilustrar a diferença entre essas duas atitudes, explica que "uma coisa é o desejo do prêmio, e outra, o medo dos suplícios. Uma coisa é dizer: 'Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? E para onde fugirei de vossa face?' (Sl 138, 7); outra é dizer: 'Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, e é só isto que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-lo no seu templo.' (Sl 26, 4), ou ainda: 'Minha alma desfalece de saudades e anseia pelos átrios do Senhor!' (Sl 83, 3)." [1]

"Minha alma desfalece de saudades e anseia pelos átrios do Senhor!" – Essas palavras do Salmista representa bem qual deve ser a nossa atitude neste mundo. Toda a nossa existência precisa ser vivida com o olhar fixo em Deus, em uma espera amorosa pela vida eterna e por contemplar a Sua face.

Este tem sido o constante ensinamento do senhor nesses últimos anos, padre. "Quem quer que deseje trilhar o caminho da santidade não deve se contentar com a senda do temor". Não se pode passar pela "primeira conversão" e ficar estacionado na vida espiritual. Não dá para se contentar com uma vida "mais ou menos" cristã ou com uma espiritualidade tíbia e frouxa. É preciso ir para águas mais profundas (cf. Lc 5, 4), entrar numa estreita relação de amor e intimidade com Deus, partir à "segunda decolagem". Porque, afinal, todos somos chamados à santidade,a tomar de assalto a nossa vida espiritual, a viver a nossa altíssima vocação para o Céu, para a comunhão com Deus.

Essa grande "mudança de rota" que o senhor vive e que o site experimenta tem sido muito importante para nós, que somos seus filhos espirituais. Afinal, padre, a coisa mais importante que temos é a nossa alma e a única coisa de que precisamos verdadeiramente é amar a Deus. Foi o que Jesus ensinou, quando disse: "De que vale ao homem ganhar o mundo inteiro, se vem a perder a sua alma?" ( Mt 16, 26).

É também esta a única coisa que o Senhor espera ouvir dos lábios dos Seus sacerdotes. Não importa, padre, que o senhor repita uma, duas ou mil vezes os mesmos ensinamentos. Não desanime nunca em sua missão de evangelizar, porque o Sagrado Coração de Jesus pulsa de alegria quando vê um coração sacerdotal que se consome de amor por Ele.

Neste dia em que o senhor celebra o aniversário de sua ordenação sacerdotal, queremos renovar o nosso agradecimento por sua vida e por sua entrega diária e constante no altar de Cristo. Que o senhor continue com perseverança no caminho do amor e da santidade, sem nunca se cansar de ensinar a nós, seus filhos espirituais, aquela que é a única coisa necessária (cf. Lc 10, 42): amar a Deus e cumprir a Sua santa vontade.

Referências

  1. De Sancta Virginitate, 38 (PL 40, 418-419).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

O amor do Coração de Jesus
Igreja Católica

O amor do Coração de Jesus

O amor do Coração de Jesus

No dia solene do Sagrado Coração de Jesus, a Igreja convida todos os seus filhos a rezarem pela santificação dos sacerdotes.

Equipe Christo Nihil Praeponere12 de Junho de 2015Tempo de leitura: 1 minutos
imprimir

"É o sacerdote quem continua a obra da redenção na terra", afirmava São João Maria Vianney. Quão grande deve ser nosso maravilhamento diante de tão profundo mistério! De fato, acrescentava o Santo Cura d'Ars: "[...] Se bem se compreendesse o que o sacerdote é na terra, morrer-se-ia, não de medo, mas de amor. [...] O sacerdócio é o amor do Coração de Jesus".

No dia solene do Sagrado Coração de Jesus, a Igreja convida todos os seus filhos a contemplar n'Aquele que traspassaram (Jo 19, 37) o Amor de Deus, de forma particular no dom do sacerdócio, e a rezar pela santificação destes homens que, com seu sim, dão as mãos, a voz e os lábios a Cristo, Sumo Sacerdote, fazendo-nos contemplar o Coração que tanto amou os homens.

Por isso, com os olhos fitos no Sagrado Coração de Jesus, elevemos a Deus nossas orações pela santificação do clero, renovando nossa fé no Amor de Deus e no sacerdócio de Cristo em seus eleitos.

Oração pelos sacerdotes (Indulgenciada por S. Pio X em 03/03/1905)

Ó Jesus, Pontífice Eterno, Divino Sacrificador, Vós que, no Vosso incomparável amor, deixastes sair do Vosso Sagrado Coração o sacerdócio cristão, dignai-Vos derramar, nos Vossos sacerdotes, as ondas vivificantes do Amor infinito.

Vivei neles, transformai-os em Vós, tornai-os, pela Vossa graça, instrumentos de Vossas Misericórdias.

Atuai neles e por eles, e fazei que, revestidos inteiramente de Vós pela fiel imitação de Vossas adoráveis virtudes, operem, em Vosso nome e pela força de Vosso espírito, as obras que Vós mesmo realizastes para a salvação do mundo.

Divino Redentor das almas, vede como é grande a multidão dos que dormem ainda nas trevas do erro; contai o número dessas ovelhas infiéis que ladeiam os precipícios; considerai a multidão dos pobres, dos famintos, dos ignorantes e dos fracos que gemem ao abandono.

Voltai para nós por intermédio dos Vossos sacerdotes. Revivei neles; atuai por eles, e passai de novo através do mundo, ensinando, perdoando, consolando, sacrificando, e reatando os laços sagrados do amor entre o Coração de Deus e o coração humano.

Amém. [1]

Referências

  1. Do livro «O Sagrado Coração e o Sacerdócio», de Madre Luísa Margarida Claret de La Touche.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Orgulho Gay ou Manipulação?
SociedadePadre Paulo Ricardo

Orgulho Gay ou Manipulação?

Orgulho Gay ou Manipulação?

O Movimento LGBT é um movimento de fachada. A fachada é a defesa dos direitos das minorias; a agenda oculta é a implantação da ideologia de gênero e a destruição da família natural.

Padre Paulo Ricardo11 de Junho de 2015Tempo de leitura: 1 minutos
imprimir

Aconteceu de novo. Em sua última edição, a Parada Gay de São Paulo voltou a ridicularizar símbolos religiosos cristãos, sob o pretexto de combater a "homofobia". A triste imagem de um transexual crucificado, parodiando o Cristo, resume tudo.

Ao protesto indignado dos cristãos, o Movimento LGBT já sabe como responder: incentivar o vitimismo nas pessoas com tendência homossexual. E de fato estas pessoas são vítimas, mas não dos cristãos. São vítimas do próprio Movimento LGBT.

O Movimento LGBT é um movimento de fachada. A fachada é a defesa dos direitos das minorias; a agenda oculta, porém, é a implantação da ideologia de gênero e a consequente destruição da família natural.

É como numa caçada. Usa-se um chamariz para que o animal caia na armadilha. Mas se você usar a isca errada, a coisa não funciona. Ora, não existe realidade que atrai mais um bom cristão do que a compaixão e a misericórdia. Ao alimentar o vitimismo das pessoas com tendência homossexual, a ideologia gayzista usa estas pessoas como isca, apostando na possibilidade de dominar a população cristã por meio de um complexo de culpa paralisante.

Por que a Passeata Gay não usa símbolos e personagens religiosos não cristãos? Por que não incluir na algazarra Maomé, Buda ou os Orixás? A resposta é simples, eles ainda não acharam uma isca adequada para essas religiões. A combinação de vitimismo e falsa compaixão só funciona com cristãos. Se eles profanassem as outras, estariam arriscando receber milhares de processos judiciais ou, quem sabe até, violentos protestos.

Convido as pessoas de boa vontade que carregam a cruz da tendência homossexual [1] a estudarem a verdadeira história da ideologia de gênero. Temos no nosso site uma pequena introdução. Vocês verão que estão sendo manipulados!

É verdade, lamento profundamente a profanação dos símbolos cristãos. Aliás, tenho feito orações para reparar estas ofensas feitas a Nosso Senhor. Mas acho que devemos também lamentar a manipulação de pessoas (homossexuais ou não) que estão sendo usadas para a destruição de nossas famílias e a implantação de um regime de intimidação que amordaça as verdadeiras liberdades.

A eliminação do cristianismo não irá ajudar em nada, nem a ninguém. Os milhares de homossexuais que morreram no "paredón" de Cuba e nos gulags da União Soviética são testemunha disto.

Referências

  1. Cf.Catecismo da Igreja Católica, 2358.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.