CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Homilia Dominical
17 Dez 2015 - 25:01

Quem acolhe Maria, acolhe a graça de Cristo

Quem quiser celebrar bem a festa do Natal precisa, a exemplo de Santa Isabel, receber Nossa Senhora em sua casa. Neste Testemunho de Fé, Padre Paulo Ricardo medita sobre o episódio da Visitação e convida todos os fiéis a renovar a sua fé e o seu amor no mistério da maternidade divina da Virgem Maria.
00:00 / 00:00
Homilia Dominical - 17 Dez 2015 - 25:01

Quem acolhe Maria, acolhe a graça de Cristo

Quem quiser celebrar bem a festa do Natal precisa, a exemplo de Santa Isabel, receber Nossa Senhora em sua casa. Neste Testemunho de Fé, Padre Paulo Ricardo medita sobre o episódio da Visitação e convida todos os fiéis a renovar a sua fé e o seu amor no mistério da maternidade divina da Virgem Maria.
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 1, 39-45)

Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.

Com um grande grito exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.

Às portas da festa da natividade de Cristo, a liturgia da Igreja se volta para a figura de Maria Santíssima e proclama o Evangelho da Visitação. Como Santa Isabel, todos os fiéis são chamados a acolher a Virgem da Doce Espera não só em suas casas, mas na intimidade de seus corações.

O Autor Sagrado conta que, “quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo” (v. 41). Esse “pulo de alegria” de São João Batistaé visto pelos Santos Padres como o momento da santificação do profeta, o primeiro milagre operado por Nosso Senhor na ordem da graça. A efusão do Espírito que Isabel experimenta, por sua vez, fá-la ver em Maria a mãe do seu Senhor, sendo ela a primeira a reconhecer a maternidade divina de Nossa Senhora.

De fato, a sua inflamada profissão de fé – “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” (v. 42) –, que repetimos na oração da Ave-Maria, não podia ter sido senão fruto da ação do Espírito Santo. Por isso, a Visitação pode ser propriamente chamada de uma antecipação de Pentecostes. Aos que acusam a devoção à Virgem Santíssima de idolatria, cabe explicar como palavras tão belas dirigidas a Nossa Senhora podem estar nas Escrituras e se associar tão intimamente à ação divina. Aos que têm escrúpulos de venerar Maria, cabe abrir os olhos da alma e finalmente reconhecer a sua importância no mistério da Redenção, prestando a honra que lhe é devida como mãe de Deus e nossa mãe.

Mais do que isso, quem quer que se ponha à espera do nascimento de Cristo precisa receber Maria “naquilo que é seu”, à semelhança do discípulo amado, feito filho de Nossa Senhora pelo próprio Senhor (cf. Jo 19, 27). Ainda hoje, é por meio dela que a graça de Deus vem ao mundo. Ela é a causa instrumental por excelência da nossa salvação, porque traz aos homens a humanidade do Redentor.

Que o nosso amor a ela afaste todo temor e todo escrúpulo vão. Ela é o caminho que nos leva a Jesus. Não tenhamos medo de ser devotos de Nossa Senhora!

Material para Download
Texto do episódio
Material para download
Comentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.