Este breve texto não foi escrito pelo Padre Paulo Ricardo; é de autoria do Monsenhor Stephen Rossetti, exorcista na Arquidiocese de Washington, capital dos Estados Unidos, há mais de 13 anos. A tradução para a língua portuguesa é de nossa equipe.

Nós sabíamos que Amanda [N.T.: nome fictício] seria atacada por demônios no Halloween. Acontece todos os anos. Por ser uma “alma vítima” e espiritualmente sensitiva, ela está em maior sintonia com o mundo preternatural [i]. Isto é ao mesmo tempo uma bênção e uma cruz. No Halloween, quando os demônios estão especialmente soltos no mundo, trata-se definitivamente de uma cruz. 

Então, nossa equipe se ofereceu para fazer uma vigília durante toda a noite e rezar com ela. Esperávamos que seria possível manter os demônios afastados. Usamos as mais fortes orações de libertação à nossa disposição, além de água benta e outros objetos abençoados. Fizemos o possível, mas ela foi atacada por demônios ao longo de toda a noite. Foi terrível. 

Santa Gemma Galgani, uma “alma vítima”.

Na manhã seguinte, Amanda disse que era grata por nossos esforços e nos agradeceu. Estávamos um pouco decepcionados com os resultados. Mas ela e toda a equipe entenderam que às vezes Deus permite ataques demoníacos a almas vítimas, independentemente de nossos melhores esforços.

Constatamos isso em inúmeros exemplos santos: Catarina de Siena, Gemma Galgani, Padre Pio, Cura d’Ars e muitos, muitos outros. Deus permitiu que essas almas santas fossem tentadas, atacadas e purificadas no cadinho de sua corajosa luta contra o mal. Sem dúvida, o fato de terem saído vitoriosos dessas lutas é uma graça invisível para inúmeras almas espalhadas por todo o mundo, particularmente as que são escravas de Satanás.

Ficamos frustrados porque não conseguimos proteger Amanda. Mas isso não estava nos planos de Deus. De qualquer modo, ela realmente saiu vitoriosa após uma noite de Halloween marcada por golpes demoníacos. É possível que tenhamos sido “bem-sucedidos”, mas não do modo como esperávamos.

Todos os dias, pessoas que sofrem tormentos demoníacos nos procuram para pedir ajuda. Muitas podem ser libertadas por meio de uma vida sacramental virtuosa. Algumas também precisam de intensas orações de libertação.

Mas outras não são libertadas de modo oportuno. Algumas delas ainda têm de superar obstáculos à sua libertação. Para outras, é longo o caminho de purificação e libertação. São muito poucas as escolhidas por Deus para caminhar no cadinho do calvário, por sua própria santificação e pela salvação das almas.

Notas

  1. Sobre essa “sensitividade espiritual” de que o Mons. Stephen Rossetti fala em muitos de seus relatos (em inglês, spiritual sensitive), vale a pena ler este outro texto de sua autoria. A expressão “alma vítima” diz respeito a almas especiais que Deus escolheu para sofrer, por amor a Ele, em reparação dos pecados da humanidade. Na sequência do texto, o próprio exorcista dá exemplos de alguns santos que receberam essa missão. (N.T.)