Este breve texto não foi escrito pelo Padre Paulo Ricardo; é de autoria do Monsenhor Stephen Rossetti, exorcista na Arquidiocese de Washington, capital dos Estados Unidos, há mais de 12 anos. A tradução para a língua portuguesa é de nossa equipe.


Márcia está sendo atormentada por espíritos malignos. Com frequência, no meio da noite, seus familiares ou membros da equipe que realiza as sessões de exorcismos recebem mensagens demoníacas com ameaças, tentações e humilhações que buscam atrapalhar nossos esforços.

Para uma pessoa de sua família, os demônios recentemente enviaram esta mensagem: “Você está esgotado, cansado de lutar… Logo ela se vai… Hora de deixá-la ir… Ela morrerá no final do mês… Você precisa parar… Ou vai se machucar.”

Ao exorcista, os demônios escreveram: “É melhor você desistir... Não adianta. Pare de rezar.

Às vezes, o número de telefone de onde os textos se originam é listado como a própria linha telefônica de Márcia. No entanto, ela está dormindo quando as mensagens são enviadas e não há registro delas em seu telefone. Outras vezes, o telefone de envio é listado como “666-13-666” e “666-00-666”. Só mais uma provocação demoníaca.

Até o momento, muito progresso espiritual foi feito. Muitos demônios foram expulsos. Contudo, os últimos têm sido obstinados.

“A Virgem das Faixas”, por Bartolomé Esteban Murillo.

Em nossa última sessão, pedi ao diácono que lesse o Prólogo do Evangelho de São João (Jo 1, 1-14), um texto poderoso usado em exorcismos [1]. Ele iniciou: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus...”. Quando ele começou, houve uma reação violenta. Os demônios gritaram e disseram para ele parar. Então, pedimos que ele lesse várias vezes. As contorções agonizantes continuaram. Eles começaram a implorar e prometeram dizer qualquer coisa para fazê-lo parar.

Mas ele continuou: “A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a superaram” (v. 5). Márcia então disse que viu raios de luz saindo dos olhos do diácono. Os raios de luz brilhavam sobre os demônios, cegando-os. Imediatamente, ela parou de se contorcer e voltou a ser ela mesma, em paz e com um sorriso no rosto.

Os demônios ainda não se foram completamente, mas estão muito enfraquecidos. Márcia diz que os demônios ainda estão cegos. Na verdade, o próprio Ritual de Exorcismo os alerta: “Quanto mais tardardes [a sair], mais pesada será a vossa punição.” Suspeito que esses demônios foram cegados permanentemente como castigo divino por seu comportamento perverso.

“O Verbo se fez carne e habitou entre nós” (v. 14). Com estas grandes palavras nos aproximamos da época do Natal. Os teólogos nos dizem que foi precisamente a notícia da Encarnação de Deus em Jesus que fez com que Lúcifer e seus asseclas se rebelassem. Por isso, em um exorcismo, é uma grande tortura ouvir a Encarnação do Verbo ser proclamada.

Aos demônios e a todos que rejeitam a Deus, a Luz cega e os lança nas trevas. Nós, que o amamos, somos transfigurados pela Luz e ela brilha através de nós.

Notas

  1. Vale recordar que esta célebre perícope evangélica, hoje lida apenas em uma das Missas de Natal, era proclamada no final de todas as Missas antes da reforma litúrgica que se seguiu ao Concílio Vaticano II. Logo após a “bênção final”, ao invés de se levantarem e irem embora, os fiéis ficavam de pé para ouvir o anúncio da Encarnação do Filho de Deus e, às palavras Et Verbum caro factum est, o sacerdote se ajoelhava, adorando o mistério (N.T.).