O breve texto a seguir não é de autoria do Padre Paulo Ricardo; foi escrito pelo Monsenhor Stephen Rossetti, que exerce a função de exorcista na Arquidiocese de Washington, capital dos Estados Unidos. A tradução para a língua portuguesa é de nossa equipe.

À luz da Ressurreição pascal, recordo-me de um encontro demoníaco. Durante um exorcismo solene, enquanto invocávamos o poder da Ressurreição de Jesus, da boca do demônio veio a seguinte exclamação: “Vencemos! Vencemos! Ele não ressuscitou”. Naquele momento, os sacerdotes presentes começaram a rir espontaneamente. Eu acrescentei: “Este demônio precisa de umas aulas de história”.

Não sei se o demônio acreditava mesmo no que dizia, pois os anjos caídos são mentirosos inveterados. Mas, como psicólogo tenho testemunhado há tempos as negações e obscuridades decorrentes do pecado, o qual entenebrece a inteligência e distorce a perspectiva do pecador. Nas entranhas do reino das trevas, a verdade é ofuscada e distorcida. Os que se habituam ao mal terminam crendo nas próprias mentiras.

No entanto, tudo o que estava acontecendo dava testemunho da realidade da Ressurreição. A mera visão do crucifixo era um tormento para os demônios: Ecce crucem Domini; fugite partes adversæ, “Eis a cruz do Senhor. Fugi, poderes malignos”. Ora, por que o símbolo da crucifixão seria um tormento para o mal, se não se lhe seguisse a Ressurreição?

À medida que jogávamos água benta neles, os demônios contorciam-se de dor. Ecce aqua benedicta, “Eis a água benta”. Ora, como a bênção da água em nome de um crucificado poderia ser uma arma tão poderosa contra o mal, se Ele não tivesse ressuscitado?

Prossegui então com as orações imprecatórias do Ritual de Exorcismos que ordenam a Satanás que saia em nome de Jesus. Adjuro te, Satana, princeps huius mundi: agnosce potentiam et virtutem Jesu Christi, qui te… spoliavit in cruce et de sepulcro resurgens tua tropæa in regnum transtulit lucis, “Eu esconjuro-te, Satanás, príncipe deste mundo: reconhece o poder e a força de Jesus Cristo, que te… destronou na cruz e, ressuscitando do sepulcro, levou teus troféus para o reino da luz”. Mandei os demônios saírem em nome de Jesus, morto e ressuscitado, e eles saíram.

Foram expulsos em nome de Jesus, cuja morte e ressurreição dos mortos são o fundamento de cada exorcismo e, em si mesmas, o exorcismo definitivo de Satanás. Na Cruz e na Ressurreição, o reino de Satanás foi esmagado para sempre.