A seguinte devoção, dedicada aos mistérios da infância de Nosso Senhor, teve origem na França e costuma ser atribuída ao cardeal Pierre de Bérulle (1575-1629), fervoroso defensor do culto ao Menino Jesus. A pedido de inúmeros bispos e pastores, o Papa Pio VII enriqueceu-a de muitas indulgências, a fim de estimular os fiéis a imitarem as amáveis virtudes do divino Infante.

A devoção, da qual oferecemos abaixo uma nova tradução ao português, divide-se em três partes, cada uma das quais consta de quatro invocações ao Menino Jesus, fazendo-nos percorrer os doze principais mistérios da infância de Cristo. Queira Deus que este piedoso exercício, talvez pouco conhecido, ganhe mais espaço entre as devoções do povo fiel.


V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Apressai-vos, Senhor, em me socorrer.
V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
R. Assim como era no princípio, agora e sempre, por todos os séculos dos séculos. Amém.

Pai-Nosso.

1.º A Encarnação. Ó dulcíssimo Menino Jesus, que para nossa salvação descestes do seio do Pai e, concebido do Espírito Santo, não rejeitastes o útero da Virgem; e, sendo Verbo encarnado, tomastes a forma de servo, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

2.º A visitação. Ó dulcíssimo Menino Jesus, que por meio de vossa Virgem Mãe, ao visitardes Isabel, enchestes a São João Batista, vosso Precursor, do Espírito Santo e o santificastes ainda no ventre materno, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

3.º À espera do parto. Ó dulcíssimo Menino Jesus, encerrado no útero por nove meses, aguardado ansiosamente pela Virgem Maria e por São José, oferecido a Deus Pai pela salvação do mundo, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

4.º O nascimento. Ó dulcíssimo Menino Jesus, nascido da Virgem Maria em Belém, envolto em faixas, posto numa manjedoura, anunciado pelos anjos, visitado pelos pastores, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

A vós, Jesus, que nascestes da Virgem,
seja dada toda glória,
com o Pai e o Espírito criador.
Pelos séculos dos séculos. Amém.

V. Cristo está entre nós.
R. Vinde, adoremos.

Pai-Nosso.

5.º A circuncisão. Ó dulcíssimo Menino Jesus, circuncidado aos oito dias, chamado com o glorioso nome de Jesus e profetizado, no nome e também no sangue, como o nosso Salvador, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

6.º A Epifania. Ó dulcíssimo Menino Jesus, manifestado aos reis magos pela Estrela guia, adorado no colo da Mãe, presenteado com os dons místicos do ouro, do incenso e da mirra, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

7.º Apresentação no Templo. Ó dulcíssimo Menino Jesus, apresentado no Templo pela Virgem Mãe, abraçado por Simeão, revelado a Israel pela profetisa Ana, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

8.º Fuga para o Egito. Ó dulcíssimo Menino Jesus, perseguido pelo iníquo Herodes, deportado para o Egito com vossa Mãe por São José, salvo de uma morte cruel e glorificado pelo testemunho dos Santos Inocentes, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

A vós, Jesus, que nascestes da Virgem,
seja dada toda glória,
com o Pai e o Espírito criador.
Pelos séculos dos séculos. Amém.

V. Cristo está entre nós.
R. Vinde, adoremos.

Pai-Nosso.

9.º Permanência no Egito. Ó dulcíssimo Menino Jesus, que permanecestes no Egito com Maria Santíssima e o patriarca São José até a morte de Herodes, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

10.º De volta a Israel. Ó dulcíssimo Menino Jesus, que voltastes do Egito para a terra de Israel com vossos pais suportando muitas dificuldades no caminho e entrastes na cidade de Nazaré, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

11.º A vida em Nazaré. Ó dulcíssimo Menino Jesus, que vivestes santamente na bendita casa de Nazaré, obediente a vossos pais, cansado pela pobreza e muitos trabalhos, mas confortado por vosso crescimento em sabedoria, idade e graça, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

12.º O reencontro no Templo. Ó dulcíssimo Menino Jesus, conduzido a Jerusalém aos doze anos, procurado com dor por vossos pais e, três dias depois, encontrado com alegria entre os doutores da Lei, tende piedade de nós!
R. Tende piedade de nós, Menino Jesus, tende piedade de nós!

Ave, Maria.

A vós, Jesus, que nascestes da Virgem,
seja dada toda glória,
com o Pai e o Espírito criador.
Pelos séculos dos séculos. Amém.

No Natal e sua Oitava (ao longo do ano, omite-se o Aleluia):
V. O Verbo se fez carne, aleluia
R. E habitou entre nós, aleluia.

Na Epifania e sua Oitava:
V. Cristo se manifestou a nós, aleluia
R.Vinde, adoremos, aleluia.

Oremos. Ó Deus eterno e todo-poderoso, Senhor do céu e da terra, que vos revelais aos pequeninos, concedei-nos, nós vo-lo pedimos, que, venerando com dignas homenagens os santos mistérios da infância do vosso Filho Jesus e imitando-os como convém, possamos chegar ao Reino dos Céus prometido aos pequeninos. Pelo mesmo Cristo, Senhor Nosso.
R. Amém.

O que achou desse conteúdo?

0
0
Mais recentes
Mais antigos