CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 19, 45-48)

Jesus entrou no Templo, começou a expulsar os vendedores dizendo-lhes: “Está escrito: Minha casa será uma casa de oração! E vede como vós a transformastes num covil de ladrões”. E diariamente ele ensinava no Templo. Os sacerdotes-chefes e os mestres da lei queriam tirar-lhe a vida. Mas não sabiam como, pois todo o povo o escutava com enorme admiração.

Pela assunção da natureza humana na unidade de sua divina pessoa, o Filho de Deus encarnado tomou para si uma alma racional e sensitiva com todos os seus movimentos passionais, sem contudo o que neles pode haver de pecaminoso, desordenado e imperfeito. É o que vemos, de modo particular, nos dois episódios narrados no Evangelho de ontem, em que o Senhor, tocado de terníssimo amor, chorara a indiferença de Jerusalém, e no do de hoje, em que, acendido de santa ira, expulsa do Templo uns vendilhões sacrílegos. Não devemos pensar, no entanto, que a cólera de Cristo seja como a nossa, irracional e desmedida; antes, a ira de Deus é precisamente uma expressão de seu infinito amor. Os chicotes que Jesus empunha hoje não são mais do que uma última tentativa de corrigir os que não se quiseram atar pelos laços de sua caridade. Ele se apresenta aqui como um pai que, depois de tantos conselhos e repreensões, já vê outro meio de evitar a ruína do filho senão pelo castigo, pela dureza, pelo trato rigoroso, mas contido, moderado. Em todas as obras de Deus, com efeito, justiça e misericórdia andam juntas, de maneira que, por amar-nos, Ele não nos priva dos castigos devidos e, ao castigar-nos, não nos deixa nunca de amar, ao ponto de permitir que soframos muito menos do que merecíamos. O Jesus que chora por nós é, pois, o mesmo que pega do látego para converter-nos, reivindicar os direitos do Pai e a santidade do seu Templo. Que saibamos corresponder aos sentimentos de seu SS. Coração e, em tudo submetidos à sua vontade, não procuremos nunca desprezar o seu tão imenso amor por nós.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.