Celebrar a Páscoa neste Ano Jubilar da Misericórdia significa celebrar um milagre. É o que sugere Santo Agostinho quando, comentando a passagem do Evangelho que diz: "Fareis obras maiores do que estas" (Jo 14, 12), diz que salvar um pecador é obra maior do que criar o céu e a terra (cf. Tratados sobre o Evangelho de São João, 72, 3).

A frase é surpreendente, mas é verdadeira. Porque o universo foi criado do nada (ex nihilo), mas o ser humano, pelo pecado, ficou abaixo do próprio nada. Porque o universo recebeu a existência, mas o homem, quando é justificado, entra na felicidade do próprio Deus. Porque os céus e a terra passarão, mas a glória dos justos no Céu jamais passará.

Cada vez que um pecador se aproxima do confessionário, portanto, os nossos olhos da carne não enxergam, mas Deus opera um milagre maior do que a criação de todo o universo, resgatando quem era menos do que nada e enriquecendo-o com o bem da graça, que é melhor do que o bem da natureza (cf. Suma Teológica, I-II, q. 113, a. 9, ad 2).

Por isso, não deixe passar esta solenidade sem receber o perdão dos pecados, pela Confissão sacramental, e sem anunciar aos que estão à sua volta o grande milagre da misericórdia divina. Só assim o Aleluia que cantamos na Vigília Pascal poderá ser repetido eternamente no Céu.

Uma feliz e santa Páscoa para você e toda a sua família!