CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

1090. “Não foi a carne nem o sangue”

O homem, na ordem da natureza, é corpo e alma; mas, ao receber o dom da graça divina, adquire também um espírito, uma participação na natureza divina e a capacidade de ser movido docilmente pelo Espírito Santo a realizar atos de fé sobrenaturais.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt 16, 13-19)

Naquele tempo, Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.

Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

Celebramos hoje a festa da Cátedra de São Pedro, por ocasião da qual a Igreja repete, agora pela pena de S. Mateus, a mesma cena que meditávamos ontem, ainda que do ponto de vista de S. Marcos. Aqui, o evangelista nos conduz a Cesareia de Filipe, onde S. Pedro professa sua fé em Cristo, e este, ao ver o príncipe dos Apóstolos deixar-se iluminar pelo Espírito Santo, prorrompe de júbilo, dizendo: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu”. Porque, com efeito, como diz a Epístola aos Tessalonicenses, o homem é corpo, alma e espírito: corpo e alma, na ordem meramente natural, e espírito, quando elevado pela graça à participação da natureza divina. Os que são só corpo e alma, movem-se ora pelos apetites sensíveis, quando não cresceram ainda em virtude, ora pelo conhecimento do bem e do dever, quando começam a sair da “infância” moral e adquirem os primeiros hábitos virtuosos. Mas tudo isso é ainda muito pouco para um cristão, porque não é o sangue nem a carne, mas somente o Pai celeste que nos pode levar ao conhecimento de seu Filho encarnado, Jesus Cristo, nem há virtude natural que, sozinha, sem um dom gratuito dos céus, nos faça dignos de receber a luz da fé. Por isso, o fiel precisa que Deus, que lhe deu o corpo e a alma naturais, lhe dê também um espírito, isto é, uma modificação íntima operada pela graça que o torne apto para ser movido pelo Espírito Santo, o único que pode levar-nos a dizer, com aquela fé sobrenatural: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. Que, por intercessão de S. Pedro, fundamento da Igreja e princípio visível da unidade da fé, Deus nos conceda o dom de sua graça e faça bem-aventuradas as nossas almas, por crerem como convém à nossa salvação e santificação diária.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.