CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 12, 35-38)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!”

No Evangelho desta terça-feira, Jesus fala-nos da vigilância e, para ilustrar o seu ensinamento, Ele recorre a duas figuras que talvez resultem de difícil entendimento nos dias de hoje. Trata-se das expressões “estar com os rins cingidos” e “com as lâmpadas acesas”. Quanto à primeira, é preciso lembrar que na época de Cristo era comum que se trajassem longas túnicas, atadas com um cíngulo à altura dos rins, a fim de facilitar o deslocamento no dia-a-dia, dando firmeza à caminhada e livre movimento às pernas. Nesse sentido, “estar com os rins cingidos” significa que a jornada de trabalho ainda não terminou; é sinal de estar a caminho, de não ter chegado a hora de desatar a túnica para recolher-se à noite. No sentido em que a utiliza Nosso Senhor, a expressão designa primeiramente a vigilância com que todo fiel, perseverando nas boas obras, deve aguardar a vinda de Cristo, seja no Fim dos Tempos, seja no momento da própria morte. “Estar com os rins cingidos”, no entanto, admite também um outro significado, mais simbólico, como sinal de contenção dos impulsos carnais. Para os antigos, com efeito, o ventre, que englobava também a região dos rins, era o lugar onde se concentravam as energias sexuais. Cingir os rins, portanto, equivale a ordenar os próprios instintos mediante a devida ascese, não deixando que eles, extravasados, tomem conta da razão e nos desviem do caminho da temperança e da fidelidade a Deus. Quanto à segunda expressão, convém lembrar que a figura da lâmpada é associada muitas vezes à inteligência, a esta luz interior que nos permite enxergar o mundo e encontrar a verdade. “Estar com as lâmpadas acesas”, no contexto do Evangelho de hoje, expressa o cuidado de que devemos rodear a luz da nossa fé, não deixando que ela se apague, caindo nas trevas do mundo, nem que se enfraqueça pelo vento das vãs doutrinas. Que o Senhor nos conceda, pois, a graça de cingirmos nossas paixões com o cíngulo de uma prudente mortificação e preservamos, viva e luminosa, a chama da fé: “Vigiai, pois não sabeis nem o dia nem a hora”.

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.