CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
(Jo 14, 1-6)

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: "Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, eu vos teria dito. Vou preparar um lugar para vós, e quando eu tiver ido preparar-vos um lugar, voltarei e vos levarei comigo, a fim de que onde eu estiver estejais também vós. E para onde eu vou, vós conheceis o caminho".

Tomé disse a Jesus: "Senhor, nós não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?" Jesus respondeu: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim".

Após anunciar os eventos que precederão a sua Paixão, Cristo pede aos Apóstolos que não se perturbem: Ele deverá partir em breve, ser traído por Judas e negado três vezes por Pedro; no entanto, apesar destes revezes, o coração dos discípulos, já visivelmente agitados, tem de permanecer sereno. A perturbação a que se refere o Senhor neste trecho nada mais é do que aquela tristeza que provém do mundo (cf. 2Cor 7, 10) e se apodera das almas sem fé. Os espíritos pouco enraizados em Deus, ao serem confrontados pelas vicissitudes da vida, deixam-se levar como folhas numa tempestade. O vento das mais leves dificuldades os arranca do solo em que pareciam ter-se firmado; e é justamente aqui, em meios às agitações e descontroles de um coração à beira do desespero, que se revela a sua falta de confiança e abandono à Providência.

Há, contudo, uma tristeza santa e sadia: trata-se daquela perturbação que lança raízes numa profunda esperança no triunfo certo de Deus sobre todos os males, ainda que o momento presente, do ponto de vista estritamente humano, pareça irremediável ou desalentador. É um tristeza suscitada não pela desesperança, mas pelas misérias em que nos vemos imersos, pelas inúmeras ofensas que são, dia após dia, lançadas à cara do nosso amantíssimo Pai do Céu. É desta tristeza, movida pela caridade, que fala São João ao escrever: "Tendo Jesus dito isto, turbou-se em espírito" (Jo 13, 21). É a tristeza dos santos, cujo coração, estando imperturbavelmente repousado no colo do Senhor, se perturba por amor, por ânsia de desagravos, de penitências, de conversão, de fazer reinar nas demais almas aquela paz que somente uma fé firme e bem enraizada pode comunicar.

Material para Download

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.