CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
(Jo 14, 7-14)

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Se conhecêsseis a mim, conheceríeis também a meu Pai. Desde já o conheceis e o tendes visto”. Filipe disse: “Senhor, mostra-nos o Pai é isto nos basta!” Jesus respondeu: “Filipe, há tanto tempo que convivo convosco e ainda não me conheces? Quem me vê, vê também o Pai. Como podes dizer: ‘Mostra-nos o Pai’? Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que vos digo não vêm de mim. Quem realiza estas obras é o Pai, que permanece em mim. Crede-me: eu estou no Pai e o Pai em mim. Senão, crede ao menos em razão das obras. Eu vos afirmo e esta é a verdade: quem crê em mim fará as obras que eu faço. E fará até maiores, porque vou ao Pai, e o que pedirdes ao Pai em meu nome eu farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes algo em meu nome, eu o farei”.

Ontem, perguntado por Tomé, Jesus disse ser o caminho; hoje, instado por Filipe, quer introduzir-nos na vida íntima que Ele e o Pai compartilham. “Quem me vê”, diz o Senhor, “vê também o Pai”, ou seja, quem participa de sua vida, já aqui na terra, toma parte também na vida escondida de Deus Pai lá no céu. Isso nos mostra a importância e o valor de uma vida espiritual bem cultivada. Assim como o Filho, gerado desde toda a eternidade, vive reclinado sobre o peito do Pai, assim também nós, renascidos pela água e pelo Espírito, temos de viver com a cabeça reclinada sobre o Coração de Nosso Senhor, a exemplo do discípulo amado na Última Ceia. É por este caminho, de união com Cristo, que receberemos o influxo vivificante de sua graça. Mas esta união só será possível se tivermos fé: “Crede-me”, pede Ele aos Apóstolos, senão pelas palavras, ao menos em razão das obras que o veem realizar, sobretudo em suas próprias almas. Que Jesus se digne abrir os nossos olhos para a sua presença em nossas vidas e, tocando-nos com sua graça, faça-nos crescer de fé em fé, até o dia em que, rasgado o véu, poderemos contemplá-lo a rosto descoberto.

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.