CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 12,54-59)

Naquele tempo, Jesus dizia às multidões: “Quando vedes uma nuvem vinda do ocidente, logo dizeis que vem chuva. E assim acontece. Quando sentis soprar o vento do sul, logo dizeis que vai fazer calor. E assim acontece. Hipócritas! Vós sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu. Como é que não sabeis interpretar o tempo presente? Por que não julgais por vós mesmos o que é justo?

Quando, pois, tu vais com o teu adversário apresentar-te diante do magistrado, procura resolver o caso com ele enquanto estais a caminho. Senão ele te levará ao juiz, o juiz te entregará ao guarda, e o guarda te jogará na cadeia. Eu te digo: daí tu não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.

Jesus hoje nos fala nos sinais dos tempos. Nós precisamos olhar para esta vida e ver o quanto ela é passageira. Não somente isso. Não é apenas o fato de que essa vida passa; mas também o fato de que precisamos estar prontos para prestar contas a Deus. São dois aspectos em que nós não gostamos de pensar. Em primeiro lugar, olhemos para o mundo moderno. O mundo atual faz de tudo para esconder a caducidade da vida. (Desculpe-me a palavra difícil. ‘Caduco’ é aquilo que cai.) Caducidade é o fato de que as coisas despencam, as coisas caem.

Olhe para o seu corpo, olhe para as folhas das árvores que caem, olhe para as coisas que apodrecem. Tudo passa. Mas você não é capaz de enxergar isso? Você não é capaz de enxergar que até os edifícios de concreto começam a dar sinais de velhice? Você não vê que esse mundo, com toda a clareza, está mostrando sua transitoriedade?

No entanto, o homem moderno olha para aquilo que é concreto, material, como se fosse a coisa mais firme do mundo. Pergunte para um adolescente criado na mentalidade pseudo-científica do mundo moderno o que é verdade para ele. A verdade, para ele, é aquilo que é concreto e palpável. Mas se há uma coisa que é miseravelmente passageira é aquilo que é palpável!

Porque tudo, absolutamente tudo o que você, neste momento, está vendo com os olhos, que pode tocar com as mãos, que pode colocar numa balança, medir, levar a um laboratório e aferir cientificamente, tudo, absolutamente tudo o que você é capaz de levar a um laboratório para fazer experiências, passará. E aí? É sobre isso que você está construindo a sua vida? Você está construindo a sua vida exatamente sobre aquilo que passa?

Adaptando um pouco é como se Jesus nos dissesse: “Hipócritas! Vocês são capazes de distinguir os sinais das coisas nos laboratórios, os sinais palpáveis e concretos das nuvens, da primavera, do outono, do verão, vocês são capazes de distinguir em laboratório como são as coisas, mas não são capazes de ver a realidade espiritual, não são capazes de ver o quanto é passageiro este mundo no qual estão colocando a esperança de vocês!”

Meus queridos, se existe uma coisa que não passa, ela não está no mundo material; se existe alguma coisa que é para sempre, ela está no mundo espiritual. Deus não passa. O amor não passa. E as coisas que verdadeiramente importam jamais passarão. Vamos nos curar de nossa cegueira e viver para aquilo que não passa. As coisas invisíveis são as que verdadeiramente permanecem. Não construamos nossa casa sobre a areia. Virá o vento e a tempestade, e será grande a ruína. Jesus nos diz: “Vós sabeis interpretar os aspectos da terra e do céu”, ou seja, os aspectos do que é palpável e científico, mas “como não sabeis interpretar essa vida presente e passageira, e entender que, se ela tem valor, é para preparar o nosso céu?”

Vamos, pois, preparar o nosso céu, porque a vida nos foi dada para isso.

Texto do episódio
Comentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.