CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

469. “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”

Uma coisa é entregar-se a Deus com sinceridade; outra, muito diferente, é entregar-se a Ele com profundidade.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
(Mc
10, 28-31)

Naquele tempo, começou Pedro a dizer a Jesus: "Eis que nós deixamos tudo e te seguimos". Respondeu Jesus: "Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida — casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições — e, no mundo futuro, a vida eterna. Muitos que agora são os primeiros serão os últimos. E muitos que agora são os últimos serão os primeiros".

"Eis que nós deixamos tudo e te seguimos". Pronunciadas pouco depois do episódio do jovem rico, estas palavras de Simão Pedro, embora sejam sinceras, não são todavia o bastante profundas. De fato, Pedro havia abandonado muito por causa do Senhor, mas a sua fé não está aqui o suficientemente madura para que este abandono seja total; é, com efeito, este mesmo Pedro que, roído de medo, irá negar a Cristo três vezes, apesar das juras de fidelidade até a morte que tantas vezes Lhe fizer. Ocorre com ele algo que se passa também conosco e que constitui, de certo modo, uma etapa natural de nossa vida interior: queremos entregar-nos generosamente a Deus e, com promessas e propósitos apaixonados feitos diante do Sacrário, dizemos a Jesus que tudo Lhe entregamos, que o único que nos importa é o seu Amor, pelo qual estamos dispostos inclusive a morrer e a suportar os maiores sofrimentos; eis, porém, que a primeira pequena contrariedade já basta para fazer acordar dentro de nós ao homem velho — impaciente, irritadiço, vaidoso, vingativo, rancoroso, murmurador… Não porque os nossos votos de amor e entrega não sejam sinceros e generosos, mas porque não são ainda profundos, enraizados num coração em que vive, não o homem velho do pecado, mas o homem novo, conformado à imagem de Cristo. Que ao longo desta próxima Quaresma nos esforcemos, com a ajuda de Deus, por fazer morrer, por meio da oração e da penitência, o egoísmo que nos impede de viver em profundidade este voto que tão ardorosamente quiséramos pôr em prática: "Eis que nós deixamos tudo e te seguimos".

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.