CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

600. Memória de Santo Inácio de Loyola

A vida de Santo Inácio de Loyola, cuja memória hoje celebramos, é um testemunho eloquente de como a graça divina, transformando todo o nosso ser, tem o poder de fazer-nos homens novos.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt
13, 31-35)

Naquele tempo, Jesus contou-lhes outra parábola: "O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos".

Jesus contou-lhes ainda outra parábola: "O Reino dos Céus é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado".

Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas, para se cumprir o que foi dito pelo profeta: "Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo".

Nesta segunda-feira, a Igreja celebra a memória de Santo Inácio de Loyola, pai fundador da Companhia de Jesus, e no Evangelho hoje proclamado Nosso Senhor recorre a duas parábolas, à do grão de mostarda (cf. Mc 4, 30ss; Lc 13, 18s) e à do fermento (cf. Lc 13, 20s), para explicar a dinâmica da palavra de Deus. Jesus quer fazer-nos entender como esta palavra, força de salvação para todo o que crê (cf. Rm 1, 16), nos faz homens novos sempre capazes de crescer mais. O grão de mostarda e o fermento, com efeito, são símbolos que expressam, cada um ao seu modo, a ação da graça divina, que, embora se antecipe a nós e nos mova a agir de modo eficaz em ordem à salvação eterna, não dispensa a cooperação de nossa liberdade, como dizem as SS. Escrituras: "Reconduzi-nos a vós, Senhor, e voltaremos" (Lm 5, 21).

Pelos méritos da Paixão de Cristo, foi-nos dada a graça sem a qual jamais seríamos justificados. Fazendo-nos renascer nEle como amigos e familiares de Deus (cf. Jo 15, 15; Ef 2, 19), esta graça nos dispõe a progredir de virtude em virtude (cf. Sl 83, 8) e a renovar-nos de dia para dia (cf. 2Cor 4, 16), a fim de crescermos e nos tornarmos mais justos na justiça recebida, como está escrito: "O santo santifique-se ainda mais" (Ap 22, 11) pela e as boas obras (cf. Tg 2, 22.24), pela observância dos mandamentos de Deus e da Igreja, pela prática assídua da oração e da meditação, esperançoso com temor e tremor de que Deus, como começou a boa obra, assim também a levará a bom termo, operando em nós o querer e o executar (cf. Fl 2, 13). Recorramos, pois, à intercessão de Santo Inácio de Loyola e peçamos-lhe que nos alcance de Deus o aumento constante da justiça, para amadurecermos na fé que a sua Companhia semeou em nossas terras.

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.