CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt 13, 54-58)

Naquele tempo, dirigindo-se para a sua terra, Jesus ensinava na sinagoga, de modo que ficavam admirados. E diziam: “De onde lhe vem essa sabedoria e esses milagres? Não é ele o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas? E suas irmãs não moram conosco? Então, de onde lhe vem tudo isso?” E ficaram escandalizados por causa dele. Jesus, porém, disse: “Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família!” E Jesus não fez ali muitos milagres, porque eles não tinham fé.

A Igreja celebra hoje a memória de S. José Operário, festa instituída em 1955 pelo venerável Papa Pio XII, como forma de batizar, sob o patrocínio do santo carpinteiro, o feriado do dia do trabalho. Além de dar conteúdo católico a uma data de inspiração originalmente comunista, a Santa Madre Igreja nos quer recordar com esta celebração que o trabalho humano, ordinário e cotidiano é um caminho de santificação pessoal à disposição de todos os fiéis que, qual fermento no meio da massa, desenvolvem sua vida cristã no meio do mundo. O valor ascético e espiritual que tem o trabalho pode ser mais bem compreendido, se levarmos em conta que o próprio Filho de Deus, após se encarnar em Maria Virgem, quis passar os primeiros trinta anos de sua vida, oculto e alheio a toda publicidade, dedicado ao humilde ofício de carpinteiro. Foi de S. José, que para dar sustento à Sagrada Família desempenhava o papel de artesão na pequenina e pobre Nazaré, que Nosso Senhor Jesus Cristo aprendeu a manejar o martelo e o serrote, a construir mesas, portas e batentes, e a consagrar a Deus — numa palavra — o suor santo com que assistia o humilde artífice a quem chamava docemente de pai. E se tal é o valor do trabalho, não há como duvidar que S. José se santificou dia após dia, pelo grande amor a Cristo e à Virgem SS. que o levava a despender suas melhores energias, a fim de dar uma vida digna, modesta embora, a estes dois penhores que lhe confiara a divina Providência. Que possamos aprender de S. José a fazer do nosso trabalho diário um ato contínuo de amor e serviço a Deus, um amor motivado pela fé de quem não tem medo de receber em sua vida a Jesus e Maria, assim como todos os cansaços que vale a pena suportar por eles. — Fazei, ó glorioso S. José, que levemos uma vida sem mancha, e que ela esteja sempre segura sob o vosso poderoso patrocínio. Amém.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.