Não sejamos ocasião de queda!
CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

Não sejamos ocasião de queda!

O pecado de escândalo, um grave atentado contra a caridade devida aos nossos semelhantes, é um dito ou fato menos reto que dá ao próximo ocasião de queda, induzindo-o a pecar ou a pôr em dúvida o pouco de fé que ainda lhe resta.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
(Mc 9, 41-50)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. E se alguém escandalizar um desses pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço.

Se tua mão te leva a pecar, corta-a! É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. Se teu pé te leva a pecar, corta-o! É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, ‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’. Pois todos hão de ser salgados pelo fogo. Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero? Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros”.

No Evangelho de hoje, Jesus nos fala do escândalo. Para definir em que consiste o “escândalo”, podemos recorrer a esta metáfora: skandalon é uma pedra de tropeço. Mas em que consiste o pecado de escândalo?

Para o senso comum, o escandaloso é uma pessoa que faz estardalhaço e muito barulho, mas não é a isso que se refere tal pecado. Escândalo é uma atitude de nossa parte que faz com que uma pessoa fraca na fé, um “pequenino” (para citar o termo usado por Jesus, uma pessoa que crê em Cristo), tropece e acabe pecando.

É importante entender que o escândalo só existe realmente para esses pequeninos que crêem. Por quê? Porque, se a pessoa é um grande santo, a minha atitude não o irá escandalizar, pois o santo é um carvalho forte; e se a pessoa é um pecador, a minha atitude também não o irá escandalizar, porque ele já não tem fé. As atitudes escandalosas fazem tropeçar e cair aquelas pessoas que já têm fé, mas uma fé que não é tão robusta como a dos grandes santos e que pode ser facilmente induzida ao pecado.

Suponhamos que eu conte uma piada escandalosa ou algo do tipo. Uma pessoa fraca na fé vê o Padre Paulo com tal atitude e diz: “Meu Deus, um padre! Estou escandalizado com a Igreja Católica. Não ponho mais os pés lá!” O escândalo é isso. São atitudes nossas que levam as pessoas a perder a fé.

Jesus está chamando a atenção dos Apóstolos para o fato de que eles são responsáveis por essas pessoas fracas, por esses pequeninos que crêem. Por isso, devemos arrancar de nós todos os hábitos inadequados, por mais incrustados e arraigados que estejam. Justifica-se, assim, a comparação: “É melhor arrancar um braço, arrancar um olho”, porque existem coisas nas quais a pessoa fica viciada. Por exemplo, a pessoa tem mania de contar piadas sujas, ou um mau vezo de se vestir de forma sedutora, de ficar lendo livros escandalosos.

Pois bem, esses hábitos devem ser deixados de lado, devemos arrancar isso, por mais que seja doloroso. Jesus está dizendo aqui: “Pague o preço! Pague o preço!”, porque estamos falando das almas dos nossos irmãos que queremos a todo custo levar para o Céu. Portanto, devemos ajudar na salvação das pessoas e não ser pedra de tropeço para elas, motivo de escândalo. Para isso, tenhamos coragem, cresçamos na fé, mas estejamos sempre atentos aos pequeninos, aquelas pessoas que não são tão fortes assim e que, através das nossas atitudes inadequadas, podem ser levadas a pecar.

Texto do episódioComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.