CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
(Jo 15, 26–16, 4a)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Quando vier o Defensor que eu vos mandarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim.

E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo. Eu vos disse estas coisas para que a vossa fé não seja abalada. Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que aquele que vos matar julgará estar prestando culto a Deus. Agirão assim, porque não conheceram o Pai, nem a mim. Eu vos digo isto, para que vos lembreis de que eu o disse, quando chegar a hora”.

No capítulo 16 do Evangelho segundo S. João, a que damos início nesta segunda-feira, as palavras de Nosso Senhor começam a introduzir-nos pouco a pouco no mistério de Pentecostes, que iremos celebrar dentro de poucos dias. A partir de agora, o Espírito Santo será uma presença cada mais viva nos discursos de Jesus, e hoje, de modo particular, Ele se refere à terceira pessoa da SS. Trindade com o nome de Paráclito. A tradução litúrgica de que nos servimos verte o termo grego por Defensor. No entanto, são muitas as possibilidades de tradução, graças à polissemia da palavra: Paráclito pode significar (a) Mestre, que nos há de ensinar, segundo as promessas de Cristo, todas as coisas (cf. Jo 14, 26); (b) ou Consolador, que não deixará que nos sintamos órfãos depois da Ascensão de Cristo à destra do Pai (cf. Jo 14, 18); (c) ou, mais em conformidade com o contexto do Evangelho de hoje, Advogado, que intercede por nós “com gemidos inefáveis” (Rm 8, 26). Esta última tradução realça o aspecto “judicial”, por assim dizer, da missão desempenhada pelo Espírito Santo na vida da Igreja: à semelhança de Cristo, odiado pelo mundo e condenado injustamente à morte, os cristãos vivem em guerra contra os poderes dos ares e as potestades mundanas, que perseguem incansavelmente os que professam sua fé em Jesus. Por isso, precisam eles de alguém que os ampare, console e defenda, e é aí que entra a ação do Espírito: ele não só nos protege dos que nos acusam, mas nos assiste também na missão que recebemos de testemunhar a Cristo diante dos homens. É ele, como Advogado, que dá força e eficácia ao nosso testemunho cristão, é ele que confere valor às nossas palavras e vida às nossas orações: “O Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim”. Não atuamos pois em causa própria, e é apenas o Espírito que nos dá força para suportar, com ânimo heroico e igual, as perseguições que hemos de sofrer por causa de Cristo: “Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que aquele que vos matar julgará estar prestando culto a Deus”. Peçamos continuamente o patrocínio do Espírito Paráclito, o único que nos pode configurar e unir a Cristo, a fim de que em nós, membros do seu Corpo, o mesmo Senhor siga atuando no mundo, realizando em nossos corações aqueles atos de amor ao Pai com que Ele salvou o mundo do pecado e do demônio. — Vinde, Espírito Santo!

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.