CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt
8, 5-17)

Naquele tempo, quando Jesus entrou em Cafarnaum, um oficial romano aproximou-se dele, suplicando: "Senhor, o meu empregado está de cama, lá em casa, sofrendo terrivelmente com uma paralisia". Jesus respondeu: "Vou curá-lo". O oficial disse: "Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e o meu empregado ficará curado. Pois eu também sou subordinado e tenho soldados sob minhas ordens. E digo a um: 'Vai!', e ele vai; e a outro: 'Vem!', e ele vem; e digo a meu escravo: 'Faze isto!', e ele faz".

Quando ouviu isso, Jesus ficou admirado, e disse aos que o seguiam: "Em verdade, vos digo: nunca encontrei em Israel alguém que tivesse tanta fé. Eu vos digo: muitos virão do Oriente e do Ocidente, se sentarão à mesa no Reino dos Céus, junto com Abraão, Isaac e Jacó, enquanto os herdeiros do Reino serão jogados para fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes".

Então, Jesus disse ao oficial: "Vai! e seja feito como tu creste". E, naquela mesma hora, o empregado ficou curado. Entrando Jesus na casa de Pedro, viu a sogra dele deitada e com febre. Tocou-lhe a mão, e a febre a deixou. Ela se levantou, e pôs-se a servi-lo. Quando caiu a tarde, levaram a Jesus muitas pessoas possuídas pelo demônio. Ele expulsou os espíritos, com sua palavra, e curou todos os doentes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: "Ele tomou as nossas dores e carregou as nossas enfermidades".

Começamos neste sábado, dia de reparação das ofensas ao doce Coração de Maria, o mês de julho, dedicado tradicionalmente ao Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Assim a Igreja nos convida a meditar mais detidamente o preço da nossa salvação: "Porque vós sabeis", escreve o Apóstolo Pedro, "que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo" (1Pd 1, 28). Precioso, sim, porque foi o preço que Deus dispôs-se a pagar, a fim de resgatar-nos da escravidão do pecado e da sujeição à morte eterna. Pelo pecado, com efeito, nos tornáramos mancípios de Satanás; pelo Sangue de Jesus, fomos não só alforriados, mas também agraciados com a liberdade de filho adotivos do Pai. Nosso Senhor, que durante toda sua vida pública recusou o título de rei, aceitou-o na Paixão: "Sim, eu sou rei" (Jo 18, 37), deixando-se cobrir com um manto de burla e ser coroado de espinhos cravejados com os rubis inestimáveis de seu Sangue valiosíssimo, derramado por amor a nós, que com ele fomos lavados de nossa iniquidade. Roguemos, pois, a Deus todo-poderoso, cujo Filho foi por Ele constituído Redentor da humanidade, que nos conceda a graça de reconhecer neste Sangue o preço com que fomos redimidos e de encontrar, na virtude que ele contém, a mais firme defesa contra o pior dos males da vida presente: o pecado. — Sangue de Cristo, alívio dos que sofrem, tende piedade de nós!

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.