CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

474. Fátima e a visão do inferno

Quando o diabo quer perder uma alma, a primeira coisa que ele faz é convencê-la de que o inferno não existe. Assim, ela pode presunçosamente aprontar o que quiser, sem nada temer.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt
25, 31-46)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: 'Vinde benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar'. Então os justos lhe perguntarão: 'Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?' Então o Rei lhes responderá: 'Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!' Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: 'Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar'. E responderão também eles: 'Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?' Então o Rei lhes responderá: 'Em verdade eu vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!' Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna".

A perspectiva da condenação eterna, quer dizer, a existência do Inferno, longe de ser uma "injustiça" por parte de Deus, como afirmam muitos inimigos da fé católica, é um mistério de amor que só pode ser "entendido", em alguma medida, se tivermos em mente o quão terrível e insano é o pecado e, portanto, o quão grave e desordenado é ofender Aquele que, por pura e generosíssima liberalidade, nos destinou desde o início a uma vida e glória sobrenaturais. É, pois, justamente o fato de todos nós, se nos achamos fora da graça divina, podermos ser condenados ao fogo inextinguível uma das principais forças motivacionais, para usar uma expressão corrente, que nos deve impulsionar não só em nossa luta diária e constante pela santidade, mas também em nosso apostolado, em nosso esforço por contribuir, quanto nos for possível, para a salvação de muitas outras almas, redimidas pelo sangue de Cristo. Esta Quaresma que temos vivido é um período oportuno para, pondo de lado toda presunção, aproveitarmos o tempo de misericórdia que nesta vida nos é dado, a fim de nos prepararmos para comparecer, na outra, diante do trono do nosso Rei e Juiz. Recorramos hoje à Virgem Santíssima de Fátima e lhe peçamos que, por sua intercessão, nos alcance a graça da perseverança final e o zelo por trazer de volta ao redil de Cristo o maior número possível de almas.

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.