CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Homilia Dominical
8 Jul 2016 - 27:22

A parábola do Bom Samaritano

Com a parábola do Bom Samaritano, Jesus não ensina apenas a importância de aproximarmo-nos de nossos irmãos. Mais que uma lição moral, Ele fala da história de nossa salvação; do homem que se perde no caminho e é resgatado pelas mãos de alguém que ama com um coração puro e o leva para a santa hospedaria, ou seja, a Igreja.
00:00 / 00:00
Homilia Dominical - 8 Jul 2016 - 27:22

A parábola do Bom Samaritano

Com a parábola do Bom Samaritano, Jesus não ensina apenas a importância de aproximarmo-nos de nossos irmãos. Mais que uma lição moral, Ele fala da história de nossa salvação; do homem que se perde no caminho e é resgatado pelas mãos de alguém que ama com um coração puro e o leva para a santa hospedaria, ou seja, a Igreja.
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 10, 25-37)

Naquele tempo, um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: "Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?"

Jesus lhe disse: "O que está escrito na Lei? Como lês?" Ele então respondeu: "Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo!"

Jesus lhe disse: "Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás".

Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: "E quem é o meu próximo?"

Jesus respondeu: "Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu na mão de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora, deixando-o quase morto.

Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado.

O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.

Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: 'Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais'".

E Jesus perguntou: "Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?" Ele respondeu: "Aquele que usou de misericórdia para com ele". Então Jesus lhe disse: "Vai e faze a mesma coisa".

*

A Liturgia deste domingo apresenta-nos a famosa parábola do "Bom Samaritano", cujo texto serviu de inspiração para a logomarca do Jubileu da Misericórdia.

Numa primeira leitura dessa parábola, vemos que Jesus deseja realçar a importância da proximidade que devemos manifestar pelos nossos irmãos, ainda que sejam nossos inimigos. O judeu assaltado é acolhido por quem ele menos esperava: um samaritano desconhecido; alguém que, por tradição, deveria ignorá-lo, dada a inimizade que existia entre seus povos.

Mas esse é somente o significado literal da parábola do Bom Samaritano. Mais que um ensinamento moral, Jesus fala-nos da história de nossa salvação.

Na interpretação dos Padres da Igreja, o judeu que caminha de Jerusalém para Jericó é figura da humanidade que desce da Cidade Santa para o lugar da perdição. Neste itinerário, ele é atacado por assaltantes (os demônios), que quase lhe roubam a vida. O sacerdote e o levita — ou seja, os profetas do Antigo Testamento — nada podem fazer de verdadeiramente eficaz para salvá-lo. Então, é do samaritano — imagem de Jesus — que vem o auxílio redentor. Depois de socorrê-lo, esse samaritano o encaminha para uma hospedagem — a Igreja —, onde poderá receber o devido tratamento.

A grande desgraça do povo do Antigo Testamento era a sua incapacidade de cumprir os mandamentos da lei divina com um coração amoroso: "Esse povo vem a mim apenas com palavras e me honra só com os lábios, enquanto seu coração está longe de mim e o temor que ele me testemunha é convencional e rotineiro" (Is 29, 13). É assim que o profeta Ezequiel anuncia a vinda de um salvador, que traria um novo espírito e um novo fervor: "Tirar-vos-ei do peito o coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne" (36, 26).

Com a parábola do Bom Samaritano, Jesus coloca-se como aquele que traz um "novo coração", capaz de compadecer-se pelos sofrimentos alheios e aliviá-los. Ele, além disso, capacita os demais a amar o próximo, socorrendo-os em suas misérias, na grande hospedaria que é a Igreja, onde estão os sacramentos. Na pessoa de Jesus, os homens podem cumprir os mandamentos de Deus e louvá-lO não somente com os lábios, como no Antigo Testamento, mas também com a alma.

Essa misericórdia manifestada por Cristo impele-nos a agir também com a mesma caridade da qual fomos objetos. Jesus consola-nos com o seu óleo e nos inquieta com seu vinho, motivando-nos a uma mudança radical de vida.

Neste Ano da Misericórdia, deixemos o Bom Samaritano curar nossos corações do pecado para que, com esse mesmo amor, também saibamos curar as chagas de nossos irmãos.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.