CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 6, 12-19)

Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. E passou a noite toda em oração a Deus. Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu o nome de apóstolos: Simão, a quem impôs o nome de Pedro, e seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelota; Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, aquele que se tornou traidor. Jesus desceu da montanha com eles e parou num lugar plano. Ali estavam muitos dos seus discípulos e grande multidão de gente de toda a Judeia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. Vieram para ouvir Jesus e serem curados de suas doenças. E aqueles que estavam atormentados por espíritos maus também foram curados. A multidão toda procurava tocar em Jesus, porque uma força saía dele, e curava a todos.

Hoje, a Igreja nos convida a celebrar a memória dos santos Apóstolo Simão e Judas Tadeus, e para bem entendermos em que consiste, fundamentalmente, a essência do apostolado cristão, vale a pena recordar as últimas palavras de S. João (cf. Jo 21, 20-25). No desfecho do seu evangelho, o discípulo amado, que reclinara a cabeça sobre o peito de Cristo, afirma dar testemunho de tudo o que viu e ouviu. “Aquele outro discípulo que Jesus amava”, diz ele em terceira pessoa, “o mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus durante a ceia […], este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas”. Aqui temos como que a sístole e a diástole em que a Igreja, fechando-se em oração no Cenáculo, prepara-se para sair em missão no dia de Pentecostes, assim como S. João, que primeiro esteve com Cristo, vendo e tocando por si mesmo o Verbo da vida, tornou-se em seguida, com a vinda do Espírito Santo, verdadeiro Apóstolo e doutor do mundo. Foi esse o roteiro que o Senhor quis seguir para escolher e preparar os seus Apóstolos: primeiro os fez discípulos, participantes de sua intimidade e de seus segredos: “Vinde”, para só então os enivar a pregar a toda a criatura o Evangelho: “Ide”. Pois não há verdadeiro discípulo missionário que não seja primeiro discípulo, por ter-se encontrado com Cristo e dele aprendido a verdade evangélica, para só depois ser missionário, isto é, para fazer discípulos a outros, transmitindo-lhes a mesma verdade e trazendo-os para o mesmo encontro com Nosso Senhor. Hoje, porém, o que vemos é justamente o contrário: os que pretendem “sair em missão” muitas vezes não se encontram com Cristo nem, por isso mesmo, saem para fazer discípulos e converter o mundo, mas para aprender com o mundo e depravar-se com ele. Eis por que nada é mais importante nestes tempos do que resgatar a necessidade da oração, da contemplação e do estudo consciencioso da doutrina católica, meditada e aprendida com total convencimento, como pré-requisitos à atividade apostólica. Jamais converteremos a outros se não nos tivermos convertido nós em primeiro lugar, e jamais poderemos ensinar a fé católica se não a conhecermos de maneira suficiente e adequada: “O mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus […], este é o discípulo que dá testemunho”.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.