CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Homilia Dominical
28 Set 2018 - 27:00

Por que é tão grave o pecado de escândalo?

No Evangelho deste domingo, Jesus Cristo diz, de quem causa escândalos, que “melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço”. Mas por que se serve Nosso Senhor de uma linguagem tão dura? Do que Ele está realmente querendo falar? Nesta meditação, Padre Paulo Ricardo explica o que é o pecado de escândalo e dá exemplos bem práticos de como ele se dá, principalmente em nossos dias. Assista e deixe de se conformar a este mundo!
00:00 / 00:00
Homilia Dominical - 28 Set 2018 - 27:00

Por que é tão grave o pecado de escândalo?

No Evangelho deste domingo, Jesus Cristo diz, de quem causa escândalos, que “melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço”. Mas por que se serve Nosso Senhor de uma linguagem tão dura? Do que Ele está realmente querendo falar? Nesta meditação, Padre Paulo Ricardo explica o que é o pecado de escândalo e dá exemplos bem práticos de como ele se dá, principalmente em nossos dias. Assista e deixe de se conformar a este mundo!
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Marcos
(Mc 9, 38-43.45.47-48)

Naquele tempo, João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem expulsar demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque ele não nos segue”. Jesus disse: “Não o proibais, pois ninguém faz milagres em meu nome para depois falar mal de mim. Quem não é contra nós é a nosso favor.

Em verdade eu vos digo: quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa.

E, se alguém escandalizar um destes pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço. Se tua mão te leva a pecar, corta-a! É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga.

Se teu pé te leva a pecar, corta-o! É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, ‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’”.

Meditação. — 1. A linguagem popular chama escandaloso ao gesto ou à forma de se vestir extravagante, que destoa da maioria ou, de alguma forma, desperta uma atenção exagerada. Para Jesus, o escândalo é um pecado tão grave que, no Evangelho da Missa deste domingo, vemos o Senhor lançar duras advertências contra aqueles que escandalizam os pequeninos: “Melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço”.

A palavra escândalo vem do grego (skándalon) e significa literalmente “pedra de tropeço”. Um santo é indiferente ao escândalo, pois já está bem firme na fé. Mas um recém-convertido ainda não tem a maturidade necessária para desviar-se das pedras, e pode cair. Cristo preocupa-se com esses “pequeninos” para que não tropecem no mau exemplo dos outros, daqueles que deveriam ser os primeiros na virtude e na obediência à Palavra. E então recomenda: “Se teu pé te leva a pecar, corta-o! É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno”.

2. A orientação de Cristo para arrancar a mão ou o pé não é exatamente literal. Nesse caso, Ele fala dos apegos, daquelas paixõezinhas que nos permitimos ainda que sejam contrárias ao estilo de vida autenticamente cristão. Trata-se daquela veste indecorosa e provocante, da conversa frívola e obscena, da amizade leviana e indecente. Um verdadeiro cristão deve, sim, cortar todas essas coisas que são ocasião de pecado para ele e para os outros. Uma mulher, por exemplo, não deve provocar indevidamente a excitação do homem e vice-versa. Todos precisam lutar para manter a pureza e a bondade do ambiente em que vivem. Afinal de contas, o chamado à santidade é para todos os homens e mulheres.

Não é admissível que um cristão prejudique a fé dos pequeninos. Para salvar-nos e salvar a vida eterna do outro, nós temos de estar dispostos a pagar qualquer preço, ainda que seja o preço de costumes e amizades bem enraizadas em nosso coração. Mas se não estivermos dispostos a amputar os nossos maus hábitos para salvar a vida eterna, então tenhamos a certeza de que seremos cobrados pela nossa infidelidade e pelo contratestemunho que afastou alguma alma do caminho do Senhor. De fato, “é melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, ‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’”.

3. Anos atrás, um rapaz chamado Aron Ralston tornou-se notícia mundial por conta de um acidente que sofreu enquanto escalava uma montanha. Uma pedra acabou deslizando e prendendo seu braço contra a parede. Como estava sozinho, e sem forças para mover a rocha, ele tomou a dura decisão de cortar o próprio braço com um canivete para conseguir se salvar. Felizmente, Aron Ralston não morreu e a sua história de superação virou livro e filme.

A nossa disposição para cortar o pecado deve ser a mesma. Ou enfrentamos a dor da amputação para conservarmos a verdadeira vida, ou pereceremos pelo apego às coisas deste mundo. Peçamos ao Senhor e à Virgem Santíssima a fortaleza para cortarmos os “membros” que nos levam a pecar.

Oração.Senhor Jesus, ajudai-me a cortar aquilo que, em mim, é ocasião de queda para meus irmãos. Não deixeis que meus hábitos ruins se convertam em pedra de tropeço para os pequeninos na fé, mas tornai-me mais virtuoso no caminho do Céu, da luta contra o pecado mortal e venial. Assim seja.

Propósito. — Abster-se de alguma coisa como penitência pelo Brasil e pelas próximas eleições.

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.