CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

Aproveite a nossa maior promoção do ano!

Descontos regressivos:
quanto antes você assinar, maior o desconto. A partir de 45% na assinatura anual.

  • Descontos diminuem com o tempo;
  • Quanto antes você assinar, maior o desconto;
  • Mais de 40 cursos à sua disposição;
  • Acesso a transmissões exclusivas para alunos;
Assine agora
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
(Mc 3, 1-6)

Naquele tempo, Jesus entrou de novo na sinagoga. Havia ali um homem com a mão seca. Alguns o observavam para ver se haveria de curar em dia de sábado, para poderem acusá-lo. Jesus disse ao homem da mão seca: “Levanta-te e fica aqui no meio!” E perguntou-lhes: “É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?” Mas eles nada disseram. Jesus, então, olhou ao seu redor, cheio de ira e tristeza, porque eram duros de coração; e disse ao homem: “Estende a mão”. Ele a estendeu e a mão ficou curada. Ao saírem, os fariseus com os partidários de Herodes, imediatamente tramaram, contra Jesus, a maneira como haveriam de matá-lo.

Jesus, ao curar o homem de mão seca num dia de sábado, revela-nos que para Deus não há propriamente dia de descanso; Ele sempre age, quer conservando o que criara, quer manifestando seu amor e misericórdia aos que redimiu. O Livro do Gênesis nos diz que, depois de concluída a obra da criação, o Senhor “descansou do seu trabalho no sétimo dia” (Gn 2, 2), e foi em comemoração disto que se instaurou entre o povo da Aliança o descanso sabático. No entanto, mais importante do que a criação das realidades visíveis e invisíveis, há a redenção das almas, pois de que adiantaria, com efeito, termos nascido se não fôramos redimidos? A partir do glorioso domingo de Páscoa, em que Cristo, vítima imolada em holocausto de amor ao Pai e em favor dos pecadores, ressurgiu como primícia dentre os mortos, temos a alegria de contemplar uma obra maior do que a criação deste mundo, ressequido pelo pecado: o nosso resgate e vocação às alegrias do céu. É por isso que nós, cristãos, já não observamos o sábado judaico, mas o Dia do Senhor, o “oitavo dia” em que Deus, saindo do seu descanso  e tendo descido do seu trono de majestade para vir em socorro do homem pecador, trouxe a cura e a salvação à nossa mão seca, incapaz de amar e de elevar-se por si mesma ao Reino cujas portas Jesus nos franqueou.

Material para Download
Texto do episódio
Material para download
Comentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.