CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
(Jo 16, 29-33)

Naquele tempo, os discípulos disseram a Jesus: “Eis, agora falas claramente e não usas mais figuras. Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isto cremos que vieste da parte de Deus”. Jesus respondeu: “Credes agora? Eis que vem a hora – e já chegou – em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas eu não estou só; o Pai está comigo. Disse-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo, tereis tribulações. Mas, tende coragem! Eu venci o mundo!”

Terminou Cristo de ensinar aos Apóstolos a sua doutrina, mas eles não foram capazes de compreender o principal capítulo dela, que é o mistério da Paixão. Por isso lhes diz no Evangelho de hoje: “Eis que vem a hora”, isto é, de minha condenação à morte de cruz, “em que vos dispersareis” por medo e falta de fé, “cada um para seu lado, e me deixareis só”. Mas nenhum prejuízo trará ao Senhor o escândalo dos discípulos, e é por isso que diz: “Mas eu não estou só; o Pai está comigo”, como se dissesse: “Ainda que eu seja um com o Pai por unidade de essência, não estou sozinho pela distinção de pessoas. Com efeito, não saí do Pai para estar longe dEle, mas para, sem nunca deixá-lo, aproximar-se de vós”. Em seguida, explica aos Apóstolos com que intenção lhes disse todas essas coisas, a saber: para que tenham paz, quer dizer, “Digo-vos que me haveis de abandonar, mas vos proponho a minha doutrina, a fim de que não persistais nesse abandono, senão que volteis para mim, em quem tereis a paz que o mundo não pode dar”. A finalidade do Evangelho, com efeito, é a paz com Cristo e, por intermédio dEle, com Deus Pai: “Grande paz têm aqueles que amam vossa Lei” (Sl 118, 165). A razão disto é que a paz de coração opõe-se à perturbação, oriunda de males externos. Se alguém, no entanto, experimenta uma alegria em si mesma superior a tais males, desfaz-se a perturbação e o coração descansa em paz. Eis por que os homens mundanos, que não estão unidos a Deus pela caridade, sofrem as tribulações desta vida sem paz, enquanto os que possuem a Deus em seus corações pela caridade, por mais que vivam atribulados no mundo, perseguidos e odiados, estão sempre em paz com Cristo: “Estabeleceu a paz em tuas fronteiras” (Sl 147, 14). Por isso diz Jesus aos Apóstolos: “No mundo, tereis tribulações. Mas, tende coragem! Eu venci o mundo”, quer dizer, “Guardai a paz que tendes comigo, recusando as falsas consolações que, em lugar das minhas, vos irá oferecer o mundo que eu venci, por minha cruz, e vós também podeis vencer, se persistirdes em estar comigo” [1].

Referências

  1. Baseado em S. Tomás de Aquino, Super Io., c. 16, l. 8.
Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.