CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

Aproveite a nossa maior promoção do ano!

Descontos regressivos:
quanto antes você assinar, maior o desconto. A partir de 45% na assinatura anual.

  • Descontos diminuem com o tempo;
  • Quanto antes você assinar, maior o desconto;
  • Mais de 40 cursos à sua disposição;
  • Acesso a transmissões exclusivas para alunos;
  • Participação nos sorteios de assinaturas vitalícias (de 14 a 21 de novembro);
Assine agora
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc
4, 31-37)

Naquele tempo, Jesus desceu a Cafarnaum, cidade da Galileia, e aí ensinava-os aos sábados. As pessoas ficavam admiradas com o seu ensinamento, porque Jesus falava com autoridade. Na sinagoga, havia um homem possuído pelo espírito de um demônio impuro, que gritou em alta voz: "Que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus!"

Jesus o ameaçou, dizendo: "Cala-te, e sai dele!" Então o demônio lançou o homem no chão, saiu dele, e não lhe fez mal nenhum. O espanto se apossou de todos e eles comentavam entre si: "Que palavra é essa? Ele manda nos espíritos impuros, com autoridade e poder, e eles saem". E a fama de Jesus se espalhava em todos os lugares da redondeza.

Jesus hoje se apresenta como Aquele cuja palavra é dotada de verdadeiro poder e autoridade. Como nos narra São Lucas, Ele acabara de chegar à cidade Cafarnaum, na Galileia. Ali, não somente as pessoas, mas também os demônios mostraram-se incomodados e aturdidos com a sua pregação autoritativa: as primeiras, pela resistência às exigências de sua doutrina; os últimos, pela evidência de sua santidade. "Vieste para nos destruir?", pergunta um destes pobres espíritos; e remata sua perplexidade com uma "profissão de fé": "Eu sei quem és tu: tu és o Santo de Deus!", pois a Boa-nova de Cristo é luz que brilha no meio das trevas, é verdade que se impõe em meio a tantas mentiras. Isto nos mostra como a palavra de Deus pode suscitar reações diferentes e contrastantes, conforme são os corações que a recebem ou a rejeitam. Os anjos, na noite de Natal, entoam glórias ao Senhor; os demônios, por outro lado, reprocham-lhe a "inconveniência" de sua vida: "Que queres de nós, Jesus Nazareno?"

Assim também os homens podem reagir de maneiras diferentes, conforme queiram ou não acolher o Evangelho de Cristo. Os ímpios, como o faraó, como Herodes, como os fariseus, sentem-se incomodados e afrontados no seu orgulho; mas para os que creem, para os que ouvem com fé o que Jesus lhes têm a dizer, "é uma força vinda de Deus" (Rm 1, 16) para os salvar. Força, pois, para todo o que crê; confusão e contradição, porém, para todo o que permanece na escuridão da incredulidade. Precisamos, portanto, aproximarmo-nos da palavra do Senhor com uma fé sincera, de quem sabe não ser capaz de nada sem o auxílio, a graça e esta força divina que brota da Boa-nova da nossa Redenção. Peçamos a Deus que nos faça firmes e fortes em nossa santa fé católica e nos dê um coração confiante para crermos, como convém à salvação eterna, em tudo quanto Ele nos houver dito.

Material para Download
Texto do episódio
Material para download
Comentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.