CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

Quinta-feira da 24.ª Semana Comum (I) - A pecadora que mu...

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 7,36-50) Naquele tempo, um fariseu convidou Jesus para uma refeição em sua casa. Jesus entrou na casa do fariseu e pôs-se à mesa. Certa mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que Jesus estava à mesa, na casa do fariseu. Ela trouxe um fra...

Homilia Diária
16 Set 2015 - 06:34

Quinta-feira da 24.ª Semana Comum (I) - A pecadora que muito amou

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 7,36-50) Naquele tempo, um fariseu convidou Jesus para uma refeição em sua casa. Jesus entrou na casa do fariseu e pôs-se à mesa. Certa mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que Jesus estava à mesa, na casa do fariseu. Ela trouxe um frasco de alabastro com perfume, e, ficando por detrás, chorava aos pés de Jesus; com as lágrimas começou a banhar-lhe os pés, enxugava-os com os cabelos, cobria-os de beijos e os ungia com o perfume. Vendo isso, o fariseu que o havia convidado ficou pensando: "Se este homem fosse um profeta, saberia que tipo de mulher está tocando nele, pois é uma pecadora". Jesus disse então ao fariseu: "Simão, tenho uma coisa para te dizer". Simão respondeu: "Fala, mestre!" "Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentas moedas de prata, o outro cinquenta. Como não tivessem com que pagar, o homem perdoou os dois. Qual deles o amará mais?" Simão respondeu: "Acho que é aquele ao qual perdoou mais". Jesus lhe disse: "Tu julgaste corretamente". Então Jesus virou-se para a mulher e disse a Simão: "Estás vendo esta mulher? Quando entrei em tua casa, tu não me ofereceste água para lavar os pés; ela, porém, banhou meus pés com lágrimas e enxugou-os com os cabelos. Tu não me deste o beijo de saudação; ela, porém, desde que entrei, não parou de beijar meus pés. Tu não derramaste óleo na minha cabeça; ela, porém, ungiu meus pés com perfume. Por esta razão, eu te declaro: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados porque ela mostrou muito amor. Aquele a quem se perdoa pouco mostra pouco amor". E Jesus disse à mulher: "Teus pecados estão perdoados". Então, os convidados começaram a pensar: "Quem é este que até perdoa pecados?" Mas Jesus disse à mulher: "Tua fé te salvou. Vai em paz". A pecadora do Evangelho, depois de ousadamente irromper na casa do fariseu, cobriu os pés de Cristo com lágrimas, beijos e perfumes. São Gregório Magno, em um dos mais belos comentários a essa passagem, ensina: "Percebam, irmãos: antes, a mulher aplicava sobre si o unguento a fim de perfumar a própria carne para os seus atos ilícitos. O que para si torpemente ela usava, agora, a Deus ela alegremente oferecia. Com seus olhos, o terreno ela cobiçava; agora, por arrependimento, contrita ela chorava. Os seus cabelos para adornar o rosto ela ostentava; agora, com eles, suas lágrimas enxugava. Com a boca, coisas soberbas ela dizia; agora, osculando os pés do Senhor, marcas no seu redentor ela deixava. Tudo quanto em si em si havia de aprazível, tanto se achou em holocausto. Converteu em número de virtudes o número de seus crimes, a fim de servir a Deus em penitência com tudo quanto tinha ofendido a Deus pela culpa." [1] A leitura conclui que dizendo que "ela mostrou muito amor". Demonstremos também nós o nosso amor a Deus, usando todas as energias humanas que despendemos no pecado para servir-Lhe com determinação e generosidade. Referência São Gregório Magno, Homilia 33 in Evangelia, 2 (PL 76, 1240).
00:00 / 00:00
Homilia Diária - 16 Set 2015 - 06:34

Quinta-feira da 24.ª Semana Comum (I) - A pecadora que muito amou

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 7,36-50) Naquele tempo, um fariseu convidou Jesus para uma refeição em sua casa. Jesus entrou na casa do fariseu e pôs-se à mesa. Certa mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que Jesus estava à mesa, na casa do fariseu. Ela trouxe um frasco de alabastro com perfume, e, ficando por detrás, chorava aos pés de Jesus; com as lágrimas começou a banhar-lhe os pés, enxugava-os com os cabelos, cobria-os de beijos e os ungia com o perfume. Vendo isso, o fariseu que o havia convidado ficou pensando: "Se este homem fosse um profeta, saberia que tipo de mulher está tocando nele, pois é uma pecadora". Jesus disse então ao fariseu: "Simão, tenho uma coisa para te dizer". Simão respondeu: "Fala, mestre!" "Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentas moedas de prata, o outro cinquenta. Como não tivessem com que pagar, o homem perdoou os dois. Qual deles o amará mais?" Simão respondeu: "Acho que é aquele ao qual perdoou mais". Jesus lhe disse: "Tu julgaste corretamente". Então Jesus virou-se para a mulher e disse a Simão: "Estás vendo esta mulher? Quando entrei em tua casa, tu não me ofereceste água para lavar os pés; ela, porém, banhou meus pés com lágrimas e enxugou-os com os cabelos. Tu não me deste o beijo de saudação; ela, porém, desde que entrei, não parou de beijar meus pés. Tu não derramaste óleo na minha cabeça; ela, porém, ungiu meus pés com perfume. Por esta razão, eu te declaro: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados porque ela mostrou muito amor. Aquele a quem se perdoa pouco mostra pouco amor". E Jesus disse à mulher: "Teus pecados estão perdoados". Então, os convidados começaram a pensar: "Quem é este que até perdoa pecados?" Mas Jesus disse à mulher: "Tua fé te salvou. Vai em paz". A pecadora do Evangelho, depois de ousadamente irromper na casa do fariseu, cobriu os pés de Cristo com lágrimas, beijos e perfumes. São Gregório Magno, em um dos mais belos comentários a essa passagem, ensina: "Percebam, irmãos: antes, a mulher aplicava sobre si o unguento a fim de perfumar a própria carne para os seus atos ilícitos. O que para si torpemente ela usava, agora, a Deus ela alegremente oferecia. Com seus olhos, o terreno ela cobiçava; agora, por arrependimento, contrita ela chorava. Os seus cabelos para adornar o rosto ela ostentava; agora, com eles, suas lágrimas enxugava. Com a boca, coisas soberbas ela dizia; agora, osculando os pés do Senhor, marcas no seu redentor ela deixava. Tudo quanto em si em si havia de aprazível, tanto se achou em holocausto. Converteu em número de virtudes o número de seus crimes, a fim de servir a Deus em penitência com tudo quanto tinha ofendido a Deus pela culpa." [1] A leitura conclui que dizendo que "ela mostrou muito amor". Demonstremos também nós o nosso amor a Deus, usando todas as energias humanas que despendemos no pecado para servir-Lhe com determinação e generosidade. Referência São Gregório Magno, Homilia 33 in Evangelia, 2 (PL 76, 1240).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.