CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
(Mc
12, 28b-34)

Naquele tempo, um mestre da Lei aproximou-se de Jesus e perguntou-lhe: "Qual é o primeiro de todos os mandamentos?" Jesus respondeu: "O primeiro é este: Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo! Não existe outro mandamento maior do que estes". O mestre da Lei disse a Jesus: "Muito bem, Mestre! Na verdade, é como disseste: Ele é o único Deus e não existe outro além dele. Amá-lo de todo o coração, de toda a mente, e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo é melhor do que todos os holocaustos e sacrifícios". Jesus viu que ele tinha respondido com inteligência, e disse: "Tu não estás longe do Reino de Deus". E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus.

O Evangelho de hoje está centrado nos dois grandes mandamentos da Lei divina: amar a Deus com todas as forças e de todo o coração, e ao próximo como a si mesmo, por amor a Deus. Aqui, porém, parece esconder-se uma pequena "contradição": se, com efeito, devemos amar a Deus com todo o nosso ser, sem preferir a Ele nada nem ninguém, como podemos de fato amar o nosso irmão? Ora, mais do que uma tensão entre duas leis opostas à primeira vista, a relação entre o primeiro e o segundo mandamentos é a de um fim relativamente ao seu meio, pois é amando ao próximo no dia-a-dia que exercitamos o amor que temos a Deus. O primeiro mandamento, embora o seja em importância e dignidade, não o é para nós na ordem da execução, porque "aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê" (1Jo 4, 20). Só amamos Aquele que é puro espírito se sujamos as mãos no "barro" de que são feitos os homens em que Ele, para que O amemos, como se faz presente. Sentemo-nos hoje à soleira da casa de Deus, batamos-Lhe a porta e peçamos que nos conceda a graça de O amarmos como Ele quer ser amado, vendo-O o servindo-O em quantos nos rodeiam. Que o Coração Imaculado de Maria nos ajude, enfim, a vencer o nosso egoísmo e a corresponder à ardente caridade que o Coração Sacratíssimo de Jesus tem por cada um de nós.

Material para Download
Texto do episódio
Material para download
Comentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.