CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt 18, 1-5.10)

Naquela hora, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos Céus?” Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles e disse: “Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus. Quem se faz pequeno como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus. E quem recebe em meu nome uma criança como esta, é a mim que recebe. Não desprezeis nenhum desses pequeninos, pois eu vos digo que os seus anjos nos céus veem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus”.

Deus pôs cada um de nós sob o amparo de um anjo custódio, que nos protege e conduz ao longo desta peregrinação terrena. Não se trata de uma piedosa historieta para criancinhas, mas de uma doutrina firme e constantemente ensinada pela Igreja e celebrada hoje, de modo mais solene, na sagrada liturgia. Mas, embora não seja algo de criança, não deixa de ser verdade que o anjo de guarda é, sim, para crianças, não no sentido cronológico da palavra, mas em sua significação propriamente espiritual: todos nós, tenhamos oito ou oitenta anos, devemos portar-nos com o nosso anjo guardião como se fôramos crianças, ou seja, com aquela dócil confiança de quem se sabe amparado por alguém mais forte, mais sábio, mais preparado, que nos cobre com inúmeras provas de amor e carinho. Não se trata — notemos bem — de “simular” uma ingenuidade tola, de quem não conhece nada da vida nem dos homens, mas de ter um coração simples, inocente, confiante, à semelhança de um filho que, agarrado à mão do pai, se deixa conduzir livremente. Todos nós, que caminhamos rumo ao céu e, em tantas ocasiões, não sabemos por que estradas seguir, temos necessidade de um guia, de uma pessoa que nos aconselhe e inspire. E essa é a função do anjo a que a piedade divina nos confiou: ele, que vê sem cessar a face do nosso Pai celeste, enxerga claramente o que mais nos convém e está sempre pronto a nos indicar o caminho. Basta que queiramos abrir-nos às suas inspirações e dar-lhe “passe livre” para pegar da nossa mão e levar-nos consigo ao Reino dos Céus. Que a partir de hoje possamos afervorar nossa devoção aos santos anjos da guarda. Rezemos sempre, de noite e ao amanhecer, aquela bonita prece, talvez a primeira que nos tenham ensinado nossos pais: “Santo anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, guarda, governa e ilumina. Amém”.

Oração (da Coleta da Missa dos Santos Anjos da Guarda). — Ó Deus, que por inefável providência vos dignais enviar os Santos Anjos para que nos guardem, fazei, nós vo-lo pedimos, que sejamos continuamente defendidos pela sua proteção e mereçamos alcançar no céu a glória da sua companhia. Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.