CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

138. É lícito o sexo virtual dentro do matrimônio?

Seria possível praticar o ato conjugal com a minha esposa, mesmo estando a distância?

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

O ato sexual entre esposo e esposa tem caráter unitivo e procriativo. Assim, não é possível e nem moralmente lícito o sexo virtual entre ambos.

Algumas situações peculiares impedem que os esposos estejam juntos cotidianamente, porém, isso não pode de ser motivo para que atos imorais sejam cometidos. Nesse caso, o que se deve esperar do casal é que se una à cruz de Cristo e ofereça a abstinência do outro como sacrifício.

O Catecismo da Igreja Católica se apropria da Constituição Pastoral 'Gaudium et spes' para falar sobre o tema:

2362. «Os atos pelos quais os esposos se unem íntima e castamente são honestos e dignos; realizados de modo autenticamente humano, exprimem e alimentam a mútua entrega pela qual se enriquecem um ao outro com alegria e gratidão». A sexualidade é fonte de alegria e de prazer: «Foi o próprio Criador quem [...] estabeleceu que, nesta função [da geração], os esposos experimentassem prazer e satisfação do corpo e do espírito. Portanto, os esposos não fazem nada de mal ao procurar este prazer e gozar dele. Aceitam o que o Criador lhes destinou. No entanto, devem saber manter-se dentro dos limites duma justa moderação».

Desta forma, o ato sexual quando realizado de forma casta, dentro do sagrado matrimônio é algo querido e abençoado por Deus, o que não ocorre, de maneira alguma, no sexo virtual, ainda que entre esposos.

Download do Material
Texto do episódioDownload do áudio e textoComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.