CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Embora não exista impedimento legal para que um casal contraia somente o matrimônio religioso, dispensando o ato civil, a Igreja Católica não recomenda e nem corrobora esta maneira, levando em conta principalmente a prudência.

O Cânon 1071, do Código de Direito Canônico, diz que:

Cân. 1071 § 1. Exceto em caso de necessidade, sem a licença do Ordinário local, ninguém assista:
- a matrimônio que não possa ser reconhecido ou celebrado civilmente;
- a matrimônio de quem tem obrigações naturais, originadas de união precedente, para com outra parte ou para com filhos;

Em si mesmo, o casamento civil para a Igreja Católica não tem nenhuma validade, ou seja, se dois católicos casarem-se somente no civil, para efeito religioso, esse casamento não aconteceu, não existe o sacramento, portanto, ambos continuam solteiros.

Contudo, a Igreja reconhece que desse vínculo civil podem ser geradas obrigações não somente morais, mas também jurídicas, financeiras, patrimoniais e, por isso, orienta seus fieis a unirem-se também civilmente. Esta é a regra e a exceção deve ser analisada de acordo com o cânon mencionado.

Assim, é possível casar-se somente na Igreja Católica, dispensando o ato civil, porém, é preciso usar de toda cautela possível, pois, o matrimônio não é somente um sacramento, trata-se de um consortium totius vitae, ou seja, uma união total entre um homem e uma mulher, para a vida toda, “ordenada por sua índole, natural, ao bem dos cônjuges e à geração e educação da prole (...)" (CDC 1055). Como tal, deve ter garantidos não só os seus direitos, mas também os seus deveres.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.