CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Conteúdo exclusivo para alunos
Assine agora
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
Quem é Jesus?

Aniquilou-se a si mesmo?

Se Jesus é Deus, como diz São Paulo que Ele se despojou de sua divindade, não se aproveitando de sua condição divina, para se fazer igual a nós? Será a Encarnação algo real, ou apenas uma “linguagem simbólica” para falar deste Homem tão santo, que Deus o considerava seu “filho” muito amado?

54

11. O erro do kenotismo. — Apoiadas em uma conhecida passagem de S. Paulo na Epístola aos Filipenses, algumas correntes cristológicas contemporâneas vêm propondo uma interpretação do mistério da Encarnação que não só se distancia do entendimento canônico da Igreja, mas que implica a anulação do próprio mistério de Cristo. O texto em questão é o hino cristológico em que o Apóstolo das gentes canta em tons poéticos — eco talvez da liturgia pré-paulina que já se celebrava entre os primeiros cristãos — a humildade com que o Filho eterno de Deus, assumindo a natureza humana, veio ao mundo para nos redimir: “Sendo Ele de condição divina”, diz, “não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz” (Fp 2, 6ss).

Desse texto pretendem concluir os kenotistas que o Filho de Deus se despojou por completo da natureza divina, tornando-se puramente homem, quer no instante mesmo da Encarnação, quer ao longo da vida, em um processo de autoaniquilamento que se consumaria no Calvário....

Conteúdo exclusivo para alunos
Aulas do curso
Texto da aula
Material para download
Comentários dos alunos