CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

1233. Memória de São Domingos de Gusmão

Dedicado a uma vida de intensa oração, São Domingos é um modelo que todos devemos imitar: temos de rezar, e rezar muito, para podermos levar a todos com quem convivemos os frutos da nossa contemplação aos pés de Cristo.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt 16, 13-23)

Naquele tempo, Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe e ali perguntou a seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.

Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.

Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”. Jesus, então, ordenou aos discípulos que não dissessem a ninguém que ele era o Messias. Jesus começou a mostrar aos seus discípulos que devia ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos mestres da Lei, e que devia ser morto e ressuscitar no terceiro dia.

Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendê-lo, dizendo: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isto nunca te aconteça!” Jesus, porém, voltou-se para Pedro, e disse: “Vai para longe, Satanás! Tu és para mim uma pedra de tropeço, porque não pensas as coisas de Deus, mas sim as coisas dos homens!”

Hoje, a Igreja celebra a memória de um de seus maiores luminares: S. Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Pregadores. Junto com S. Francisco de Assis, Domingos foi um dos principais representantes do espírito mendicante de que se viu tomada a cristandade do séc. XIII. De origem nobre, Domingos nasceu em Caleruega, na Espanha, em 1170, época ao mesmo tempo de crise e renovação para a Igreja Católica. Alma robusta, dedicada a uma vida de oração intensa, Domingos quis, ainda jovem e cheio de zelo apostólico, partir rumo aos povos bárbaros para os trazer ao rebanho de Cristo. No entanto, o Pontífice então reinante, Inocêncio III, lhe reservava outros projetos: Domingos foi encarregado de combater, pela pregação, a oração e a penitência, a heresia albigense, muito em voga no sul da França. Lá, o santo pregador, além de levar a verdade a numerosas almas, pôde organizar as primeiras comunidades dominicanas, onde se vivia a pobreza e a humildade evangélicas, aliadas a uma sólida formação teológica, destinada fundamentalmente à conversão dos povos e à edificação do povo cristão.

S. Domingos é, ainda hoje, um modelo a ser seguido. Todos os fiéis, com efeito, somos chamados por Deus a, mediante uma vida de assídua e perseverante oração, levar às pessoas com quem convivemos e trabalhamos os frutos da nossa intimidade com o Senhor. A Ele devemos ir, como foram outrora os Apóstolos, e com Ele permanecer, para só então, alimentados na fé dos mistérios contemplados, partirmos em missão para converter os de fora. Contemplata aliis tradere, “Transmitir aos outros as verdades contempladas”: eis o lema que animava S. Domingos e que ainda hoje continua a motivar os irmãos dominicanos, que, havendo tudo deixado por amor a Jesus Cristo, têm por vocação comunicar às demais almas tudo quanto recebem de sua amizade com o Senhor. Peçamos hoje a este santo pregador a graça de, persistindo na vida de oração e na vida sacramental, podermos levar as luzes do Evangelho a todas as pessoas que Deus pôs em nossas vidas.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.