CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Esta aula é restrita aos assinantes
Quero assinarJá sou assinante
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
Os Quatro Temperamentos

Definição

Ainda que uma parte de nós seja resultado de educação e hábito, uma boa parte do que somos se deve à constituição física que possuímos, e é sobre a base natural de disposições e inclinações de que nos dotou a natureza que devemos construir o nosso caráter.

imprimir

O temperamento, de acordo com o Pe. Antonio Royo Marín, pode ser caracterizado como “o conjunto de inclinações íntimas que brotam da constituição fisiológica de um homem” [1]. Analisemos com mais detalhe a definição.

O temperamento, por referir-se às inclinações dependentes da constituição fisiológica, é algo inato a cada indivíduo. Trata-se, por conseguinte, de uma propriedade de índole natural, que nos há de acompanhar sempre, do berço ao cemitério, ainda que a possamos trabalhar, como iremos vendo ao longo das próximas aulas.

Além disso, por referir-se às inclinações íntimas, o temperamento diz respeito, propriamente, ao nosso “mundo interior”, isto é, ao conjunto de tendências passionais, afetivas e emocionais que marcam o nosso modo natural de ser. É possível, por exemplo, que uma pessoa, por causa de sua constituição física, tenha a tendência natural a desenvolver certas doenças. Não é, pois, a esse tipo de inclinação que se refere o temperamento, palavra que aqui reservamos para designar, segundo a definição de Royo Marín, aquelas predisposições de origem orgânica a um modo de ser e comportar-se determinado.

É nesse sentido que dizemos que...

Seja família conosco
Inscreva-se
Aulas do curso
Passaporte de acesso

A assinatura inclui

  • Acesso ilimitado aos 44 cursos da plataforma
  • Participação das aulas ao vivo exclusivas
  • Garantia de acesso aos lançamentos de novos cursos
  • Bibliografia
  • Download das aulas (.mp3)
  • Suporte personalizado
Assine Agora