CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Conteúdo exclusivo para alunos
Assistir à aula
Preencha seu e-mail
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Erro ao criar a conta. Por favor, tente novamente.
Verifique seus dados e tente novamente.
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Verifique seus dados e tente novamente.
Boas-vindas!
Desejamos um ótimo aprendizado.
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
Lutero e o Mundo Moderno

Lutero em Crise

Antes do Lutero reformador que a versão “canônica” dos fatos nos costuma apresentar, houve um Lutero profundamente angustiado, que foi se desencantando pouco a pouco, em meio a dolorosas crises de consciência, com as falsas opiniões que ele julgava serem a doutrina oficial da Igreja de Roma. Antes da “Reforma”, o que vemos é uma alma em conflito; antes do “reformador”, um espírito necessitado de orientação e ajuda.

Nesta aula do nosso curso sobre Martinho Lutero e o Mundo Moderno, você vai descobrir o que se passou internamente com Lutero nos anos que precederam a “Reforma” Protestante e por que esta, no fim das contas, não é mais do que a tentativa de resolver, em sede teórica, o que no fundo eram problemas pessoais.

43

Descrevemos na aula passada as crises de consciência que atormentaram Lutero até a sua ordenação sacerdotal em 1507. Falta-nos ainda, ao longo dos próximos encontros, estudar a solução pessoal que o pai da “Reforma” encontrou para os seus problemas e determinar, de uma perspectiva espiritual mais sadia, qual poderia ter sido a resposta adequada a essas crises morais. Estamos diante, pois, de duas fases distintas, embora vinculadas, da biografia de Martinho Lutero: de um lado, temos o processo de gestação das suas Anfechtungen, que chegariam a seu ponto culminante nos anos posteriores à ordenação sacerdotal; de outro, encontramo-nos com a fase de racionalização que, no fim das contas, dará origem a uma solução heterodoxa, em forma de ideologia, a essas mesmas tensões espirituais que o vinham angustiando.

Convém esclarecer desde já que por ideologia entendemos aqui um estado de espírito em virtude do qual um indivíduo se encontra tão apegado a uma ideia que, para não ter de renunciar a ela, se dispõe a fechar os olhos a todas as evidências contrárias. Trata-se, em outras palavras, de uma forma de perverter a própria visão de mundo, a ponto de forçar o mundo a se adaptar...

Conteúdo exclusivo para alunos
Aulas do curso
Texto da aula
Material para download
Comentários dos alunos