CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
PropagandaPropaganda

Confira a história em quadrinhos de Nossa Senhora de Fátima!

Conteúdo exclusivo para alunos
Assistir à aula
Preencha seu e-mail
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Erro ao criar a conta. Por favor, tente novamente.
Verifique seus dados e tente novamente.
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Verifique seus dados e tente novamente.
Boas-vindas!
Desejamos um ótimo aprendizado.
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
Introdução a Santo Tomás de Aquino

Santo Tomás: Doutor das Escrituras (II)

Santo Tomás de Aquino dedicou boa parte de sua vida e esforços ao que era, durante o período escolástico, o trabalho usual dos mestres: ler e comentar as Escrituras.

Por isso, se quisermos ter da imensa obra do Aquinate uma noção mais justa e integral, precisamos redescobrir a luminosa doutrina que refulge em seus comentários bíblicos, parcela expressiva e, infelizmente, pouco conhecida da sua gigantesca produção teológica.

17

Escritas sob o ditado do Espírito Santo e entregues por Cristo à sua Igreja, as Escrituras Sagradas têm a Deus mesmo por autor principal [1]. Esta divina autoria se estende, com efeito, à totalidade e a cada uma de suas partes, de modo que tudo quanto nelas é afirmado, enunciado e insinuado pelo hagiógrafo se deve considerar como a própria Palavra de Deus [2]; os textos inspirados guardam, pois, tudo e somente o que Ele, falando por meio de homens e à maneira humana, quis revelar-nos para a nossa salvação [3]. Ora, a fim de entender o que a Deus aprouve transmitir-nos mediante os autores sagrados, a Igreja, auscultando a pregação apostólica sob a assistência do Espírito Santo, esteve sempre atenta ao fato de as Escrituras conterem um dúplice sentido, literal e espiritual, "como é ensinado pela prática de Nosso Senhor e dos Apóstolos" [4] e confirmado por uma antiga e constante tradição [5].

Isto porque, para significar algo, Deus tem o poder de falar-nos não apenas por meio de palavras — o que também nós somos capazes de fazer —, senão também por meio das coisas significadas por elas [6]. Por isso, somente à Escritura é próprio que as coisas expressas pelas palavras...

Conteúdo exclusivo para alunos
Aulas do curso
Texto da aula
Material para download
Comentários dos alunos