CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

Aproveite a nossa maior promoção do ano!

Descontos regressivos:
quanto antes você assinar, maior o desconto. A partir de 45% na assinatura anual.

  • Descontos diminuem com o tempo;
  • Quanto antes você assinar, maior o desconto;
  • Mais de 40 cursos à sua disposição;
  • Acesso a transmissões exclusivas para alunos;
  • Participação nos sorteios de assinaturas vitalícias (de 14 a 21 de novembro);
Assine agora
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43

Em defesa da verdadeira fé católica

Celebramos hoje a memória de um Doutor da Igreja, São Leão Magno, que foi Papa durante o século V, período bastante conturbado para a Igreja, tanto no campo político, devido à invasão dos bárbaros, como no campo espiritual, por causa das heresias cristológicas.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 17, 20-25)

Naquele tempo, os fariseus perguntaram a Jesus sobre o momento em que chegaria o Reino de Deus. Jesus respondeu: “O Reino de Deus não vem ostensivamente. Nem se poderá dizer: ‘Está aqui’ ou ‘Está ali’, porque o Reino de Deus está entre vós”.

E Jesus disse aos discípulos: “Dias virão em que desejareis ver um só dia do Filho do Homem e não podereis ver. As pessoas vos dirão: ‘Ele está ali’ ou ‘Ele está aqui’. Não deveis ir, nem correr atrás. Pois, como o relâmpago brilha de um lado até o outro do céu, assim também será o Filho do Homem, no seu dia. Antes, porém, ele deverá sofrer muito e ser rejeitado por esta geração”.

Celebramos hoje a memória de São Leão Magno, Papa e Doutor da Igreja. Quem foi este grande santo? O Papa São Leão Magno viveu numa época conturbada, em que ele teve de combater várias heresias. A Igreja — como se sabe —, no século IV, começou a poder cultuar a Deus livremente. O imperador Constantino deu “paz” à Igreja. No entanto, esta paz, graças à qual a Igreja agora já não era mais perseguida externamente, significou uma série de atritos internos. Por que isso? Porque durante o tempo das perseguições, a Igreja, que manteve a fé dos Apóstolos, não tivera a oportunidade de se organizar internamente no mundo inteiro. Por quê? Porque havia sempre heresias, pessoas que se desviavam da fé dos Apóstolos.

No século IV, a Igreja teve de esclarecer sua fé trinitária: nós cremos em um só Deus — Pai, Filho e Espírito Santo — em três Pessoas realmente distintas. No século V, século em que viveu nosso grande São Leão Magno, a Igreja precisava esclarecer a sua fé em Cristo. Quem era este homem, Jesus Cristo? A Igreja teve de enfrentar duas grandes heresias. A heresia de Nestório queria separar Cristo de Deus. Por quê? Porque “uma coisa é Deus, outra coisa é o homem, coisas realmente separadas”. E uma heresia oposta, a heresia do monofisismo, a qual unia tanto o homem a Deus que as duas realidades acabavam “misturadas”.

 São Leão Magno, homem de grande fé apostólica, se dedicou a combater esses dois extremos, e então escreveu uma famosa carta, já como Papa, a outro santo, São Flaviano, que era Patriarca de Constantinopla. Nela se estabelecia claramente a fé da Igreja: Nosso Senhor Jesus Cristo é uma Pessoa da Trindade (é “unus ex trinitate”), portanto é a segunda Pessoa da Santíssima Trindade, que se fez homem e, ao se fazer homem, não perdeu o que tinha, mas assumiu o que não tinha, a sua humanidade. Assim, ficou claro: Jesus é uma só Pessoa, divina, com duas naturezas, humana e divina.

Por que isso é tão importante? Isso é importante porque nós precisamos entender que, para que haja salvação, Deus e homem precisam estar unidos, mas não podem se unir tanto, a ponto de a humanidade desaparecer, senão não há salvação alguma. É por isso que nós vemos hereges, panteístas de outras religiões, pensarem a salvação de forma completamente estranha. Eles acham que nós somos uma espécie de “gotinha” que vai se dissolver no “oceano divino”… Nada disso. Nós continuaremos humanos, mas unidos a Deus de forma extraordinária. Foi esse o ensinamento de São Leão Magno.

Ele teve de enfrentar hereges, mas não somente isso: enfrentou também adversários externos da Igreja, como os bárbaros. São Leão Magno ficou famoso pelo confronto com Átila, o Huno, um bárbaro chamado de “flagelo de Deus” que queria invadir a cidade de Roma. Leão, já velhinho, foi enfrentar o bárbaro e assim salvou a cidade!

Que São Leão Magno, lá do Céu, grande Doutor da Igreja, interceda por nós, para que nos mantenhamos firmes na fé ortodoxa, católica e verdadeira, sem heresias. E assim como enfrentou os grandes bárbaros de sua época, que ele nos ensine a enfrentar o bárbaro que está dentro de nós e quer se desviar da fé verdadeira, para que, assim, possamos servir a Deus como ele serviu.

Texto do episódio
Comentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.