CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

139. A Lei de Deus

O Evangelho desta 3.ª-feira nos ajuda a compreender o que significa servir a Deus e obedecer aos seus mandamentos. Não se trata de servilismo, mas de verdadeira liberdade, pela qual, como filhos obedientes, desejamos agradar de coração ao nosso Pai celeste.

Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
(Mc
7, 1-13)

Naquele tempo, os fariseus e alguns mestres da Lei vieram de Jerusalém e se reuniram em torno de Jesus. Eles viam que alguns dos seus discípulos comiam o pão com as mãos impuras, isto é, sem as terem lavado.

Com efeito, os fariseus e todos os judeus só comem depois de lavar bem as mãos, seguindo a tradição recebida dos antigos. Ao voltar da praça, eles não comem sem tomar banho. E seguem muitos outros costumes que receberam por tradição: a maneira certa de lavar copos, jarras e vasilhas de cobre.

Os fariseus e os mestres da Lei perguntaram então a Jesus: "Por que os teus discípulos não seguem a tradição dos antigos, mas comem o pão sem lavar as mãos?" Jesus respondeu: "Bem profetizou Isaías a vosso respeito, hipócritas, como está escrito: 'Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim. De nada adianta o culto que me prestam, pois as doutrinas que ensinam são preceitos humanos'. Vós abandonais o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens".

E dizia-lhes: "Vós sabeis muito bem como anular o mandamento de Deus, a fim de guardar as vossas tradições. Com efeito, Moisés ordenou: 'Honra teu pai e tua mãe'. E ainda: 'Quem amaldiçoa o pai ou a mãe deve morrer'. Mas vós ensinais que é lícito alguém dizer a seu pai e à sua mãe: 'O sustento que vós poderíeis receber de mim é Corban, isto é, Consagrado a Deus'. E essa pessoa fica dispensada de ajudar seu pai ou sua mãe. Assim vós esvaziais a Palavra de Deus com a tradição que vós transmitis. E vós fazeis muitas outras coisas como estas".

A vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo a este mundo implicou, entre outras coisas, a abolição dos preceitos rituais e jurídicos que, durante a Antiga Aliança, Deus havida dado a seu povo, Israel. Não se trata, evidentemente, da ab-rogação da Lei, mas antes do seu pleno cumprimento por meio da preservação do Direito Natural — inscrito na própria natureza das coisas e agora, sob a vigência da Nova e eterna Aliança, enriquecido e informado pela nova lei do amor, instaurada pelo mesmo Filho de Deus. Abolidas, pois, as normas rituais do Velho Testamento e os preceitos e costumes humanos delas derivados, Deus quis vivesse o homem, regenerado pelo sangue do Cordeiro imaculado, apenas sob o jugo suave do Evangelho e os vínculos libertadores dos Dez Mandamentos. Confiou porém à sua Igreja, continuadora da obra de cura e redenção do Verbo feito carne, o poder de legislar sobre a recepção dos canais da Graça, que são os sacramentos.

Derivando, assim, a sua autoridade da autoridade de seu próprio e divino Fundador, a Igreja tem a prerrogativa de vincular os que, pelo Batismo, pertencem ao seu grêmio e, com disciplina doce e materna, impor-lhes tudo quanto os possa ajudar a ter uma vida santa e mais conforme aos perenes Mandamentos do Senhor do universo. Por isso, o Evangelho de hoje nos mostra a dureza com que Cristo repreende os fariseus, que, impondo ao povo um fardo que eles mesmos não podiam suportar, pervertiam as leis de Deus e decretavam como de ordem divina o que, na verdade, era mera tradição humana. "Assim", reprova-os o Mestre, "vós esvaziais a Palavra de Deus com a tradição que vós transmitis". Ai de vós, fariseus, que com preceitos e miudezas terrenas acabais fechando aos homens o Reino dos Céus; "e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando!" (Mt 23, 12). Pois honrais a Deus com os lábios, mas o vosso coração está longe do Senhor!

Rezemos hoje por todos aqueles que, nesta 3.ª-feira "gorda" de Carnaval, desprezam a Lei de Deus, pensando ser livres e senhores de si, mas que, entregando-se às obras carne, terminam por servir às leis do diabo e dele se tornam reféns. Que o Senhor os liberte das amarras do pecado e lhes mostre o quão suave é o seu braço, quão leve é o seu Evangelho, quanta vida e liberdade há no servir somente a Deus e a ninguém mais.

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.