CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Homilia Dominical
18 Mai 2018 - 25:26

Igreja, o novo Corpo de Cristo

O venerável arcebispo Fulton Sheen costumava referir-se à Igreja como o “novo Corpo” com o qual Jesus quis se revestir enviando a seus Apóstolos o Espírito Santo. É com base nessa afirmação que Padre Paulo Ricardo conduz esta meditação de Pentecostes, renovando em nós o desejo de pertencer à “Igreja una, santa, católica e apostólica”.
00:00 / 00:00
Homilia Dominical - 18 Mai 2018 - 25:26

Igreja, o novo Corpo de Cristo

O venerável arcebispo Fulton Sheen costumava referir-se à Igreja como o “novo Corpo” com o qual Jesus quis se revestir enviando a seus Apóstolos o Espírito Santo. É com base nessa afirmação que Padre Paulo Ricardo conduz esta meditação de Pentecostes, renovando em nós o desejo de pertencer à “Igreja una, santa, católica e apostólica”.
Texto do episódio

Texto do episódio

imprimir

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
(Jo 20, 19-23)

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.

Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

Meditação. — O venerável arcebispo Fulton Sheen cunhou uma expressão um tanto ousada para referir-se à Igreja. Em seu dizer, ela nada mais seria que o novo Corpo com o qual Jesus se revestiu após os eventos de Pentecostes, ou seja, após o derramamento do Espírito Santo sobre a comunidade reunida em torno dos Apóstolos e da Virgem Maria, no cenáculo.

Na solenidade de Pentecostes, portanto, os fiéis católicos celebram o acontecimento eclesial por excelência, o surgimento da Igreja como Corpo Místico de Cristo, do qual ninguém devidamente esclarecido pode se afastar sem prejuízo da própria salvação. Guiada e instruída por seu divino fundador, ela transmite aos homens de todas as épocas os meios necessários para a sua santificação, quais sejam: os sacramentos e o depósito sagrado da .

Nenhum cristão pode considerar-se verdadeiro discípulo de Jesus se não segue os legítimos pastores por Ele instituídos, nem “é compatível com a doutrina da Igreja a teoria que atribui uma atividade salvífica ao Logos como tal na sua divindade, que se realizasse ‘à margem’ e ‘para além’ da humanidade de Cristo, também depois da encarnação”, pois “como existe um só Cristo, também existe um só seu Corpo e uma só sua Esposa: ‘uma só Igreja católica e apostólica’” (Dominus Iesus, IV, 16).

Infelizmente, muitas pessoas fazem uma distinção indevida entre Jesus e a Igreja, como se fosse possível estar junto de um e longe do outro. Isso é simplesmente absurdo. Apesar dos erros de muitos de seus membros ao longo dos séculos, Cristo prometeu a sua assistência à Igreja, por meio do Espírito Santo,  conferindo aos Apóstolos o poder de perdoar ou não os pecados. E esse poder é conservado ainda hoje pelos sucessores dos Apóstolos, os bispos da Santa Igreja Católica, dos quais se destacam santos homens que governaram a grei de Cristo com zelo e dedicação. Quem ignora essa realidade, termina por perseguir o próprio Senhor, como fazia São Paulo até o episódio de Damasco, quando Jesus lhe perguntou: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” (At 9, 4).

O Espírito Santo é a alma da Igreja, que nos anima a seguir o caminho de santidade indicado por Nosso Senhor Jesus Cristo. Renovemos, então, o nosso desejo de pertencer cada vez mais a esse Corpo Místico, a fim de que sejamos verdadeiros membros do Senhor Jesus, pela graça do Espírito Santo.

Oração.Senhor Jesus, nesta Solenidade de Pentecostes, quero renovar as minhas promessas batismais, implorando-vos uma alegria renovada por pertencer ao vosso Corpo Místico, a Santa Igreja Católica. Imploro-vos, meu Deus, um amor ardente pelos legítimos pastores do vosso rebanho, sobretudo pelo sucessor de Pedro, por quem devo rezar e oferecer sacrifícios. Não permitais nunca que me revolte contra a verdadeira Igreja, nem que dela me afaste por qualquer motivo. Que meu coração seja sempre grande, largo, católico. Assim seja.

Propósito. — Oferecer um terço pelos pastores da Igreja de Deus, a fim de que eles sejas firmes no seu dever de confirmar e santificar os irmãos na fé.

Recomendações

Material para Download
Texto do episódioMaterial para downloadComentários dos alunos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.