CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Conteúdo exclusivo para alunos
Assistir à aula
Preencha seu e-mail
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Erro ao criar a conta. Por favor, tente novamente.
Verifique seus dados e tente novamente.
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Verifique seus dados e tente novamente.
Boas-vindas!
Desejamos um ótimo aprendizado.
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
O Segredo de Teresinha

A infância espiritual

Embora o caminho de santidade proposto por Teresinha costume ser identificado como “infância espiritual”, a santa Doutora nunca usou essa expressão nem defendeu, como às vezes se pensa, que para ser santo é preciso fazer-se… “sonso”. 

A “infância espiritual”, na verdade, é a experiência de filiação e pobreza espiritual que nos deve dispor a confiar unicamente em Deus, esperando dele tudo receber e servindo a Ele sem nada esperar.

127

No Manuscrito C, Teresinha caracteriza o seu caminho espiritual como um “meio de ir para o Céu por um caminhozinho bem reto, bem curto, uma pequena via inteiramente nova” [1]. Nova, sim, mas apenas quanto ao modo de apresentá-la, uma vez que o coração da pequena via — como tivemos ocasião de ver — já está no Evangelho, cuja doutrina, sempre velha e sempre nova, Teresinha conseguiu expressar com um frescor próprio, com a simplicidade das almas que vêem, sem grandes aparatos conceituais, as verdades espirituais mais profundas.

É comum identificar essa pequena via com a ideia de “infância espiritual”, expressão algo inadequada, por prestar-se a interpretações simplistas, que Teresinha mesma não chegou a utilizar. O termo, ao que tudo indica, surgiu cerca de 10 anos após a morte da santa. Madre Inês a emprega em seu Caderno Amarelo, onde deixou registradas as últimas palavras da santa, que, se usou alguma vez a expressão, terá sido por um reflexo dos ensinamentos do Pe. Pichon, SJ, diretor espiritual de Paulina e Maria. 

O que, sim, é certo é o uso recorrente por Teresinha da noção de enfant, que em francês pode significar tanto “criança” quanto “filho”, e...

Conteúdo exclusivo para alunos
Aulas do curso
Texto da aula
Material para download
Comentários dos alunos