CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Conteúdo exclusivo para alunos
Assistir à aula
Preencha seu e-mail
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Erro ao criar a conta. Por favor, tente novamente.
Verifique seus dados e tente novamente.
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Verifique seus dados e tente novamente.
Boas-vindas!
Desejamos um ótimo aprendizado.
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
Terapia das Doenças Espirituais

O pecado da ira

Quando nos irritamos e perdemos a paciência, nossa alma fica cega e, governada por sua sensibilidade animal, acaba tolhida de toda a sua dignidade humana.

Nesta aula do curso de Terapia das Doenças Espirituais, conheça o pecado mortífero da ira, que torna o ser humano semelhante ao demônio, "homicida desde o princípio".

25

Na aula passada, vimos que existe uma ira que não é pecado. Trata-se de uma energia que pode fazer o bem ou o mal (θυμός, em grego), que significa exatamente uma pulsão, uma possibilidade que existe dentro de todo ser humano e, se bem usada, pode ser positiva.

No entanto, existe um aspecto da ira sempre ruim. Trata-se da doença espiritual propriamente dita, (οργη, em grego). Ela se dá quando a sensibilidade animal domina a alma e a deixa cega, tirando a dignidade do homem e impedindo que ele aja com justiça. A ira, portanto, torna o ser humano semelhante ao demônio, que é "homicida desde o princípio" [1].

A doença da ira cega o homem e faz com que ele reaja como um réptil, um animal irracional. Não é exagero, pois é sabido que a parte do cérebro de onde surge a ira é justamente aquela mais primitiva, idêntica ao cérebro dos répteis, dentre os quais se destaca a serpente [2].

A ira corrompe os relacionamentos entre as pessoas, não permite que elas se enxerguem como realmente são, mas a partir das distorções e das deformações que a ira mesmo provoca.

Alguns pensam que a solução para a ira é fechar-se em si mesmo e recusar a amar....

Conteúdo exclusivo para alunos
Aulas do curso
Texto da aula
Material para download
Comentários dos alunos