CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®

Participe do nosso aniversário!

  • O aniversário é nosso, mas o presente é seu. Confira as ofertas:
  • Inscreva-se com 40% de desconto no plano anual;
  • Oportunidade de assinatura vitalícia. Um único pagamento para estudar conosco para sempre.
Assine agora
Preencha seu e-mail
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Erro ao criar a conta. Por favor, tente novamente.
Verifique seus dados e tente novamente.
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Verifique seus dados e tente novamente.
Boas-vindas!
Desejamos um ótimo aprendizado.
Conteúdo exclusivo para alunos
Assistir à aula
Preencha seu e-mail
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Erro ao criar a conta. Por favor, tente novamente.
Verifique seus dados e tente novamente.
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Verifique seus dados e tente novamente.
Boas-vindas!
Desejamos um ótimo aprendizado.
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
Ensina-nos a orar

A aridez que vem da tibieza

A aridez espiritual nem sempre é sinal de progresso na vida de santidade. Em muitos casos, ela pode ser indício justamente do contrário.

111

Ao iniciarmos nossa vida de oração, é muito comum termos uma série de consolações e reações afetivas, pois passamos a descobrir que Deus é um Deus vivo e que, neste trato de amizade que é a oração, encontramos um Amigo que alimenta e consola nosso coração. No entanto, essas consolações tendem a acabar e são seguidas por um período de grande aridez espiritual. Isso nos leva a questionar as causas dessa aridez.

Nesta aula, vamos tratar sobre a aridez causada por nós mesmos. Para isso, utilizemos o seguinte exemplo: quando uma pessoa decide ter uma vida de oração, ela passa a exercitar as virtudes, ter disciplina, mortificar-se e recolher-se interiormente, a fim de entregar-se por inteiro a Deus. Depois de um tempo de maior generosidade e penitência, pode ser que essa pessoa comece a relaxar e, por negligência, permita-se certas distrações que, mesmo não sendo pecaminosas, vão aos poucos a contaminando com o espírito mundano, que reaviva em seu íntimo o homem velho, guiado pela conhecida lógica do “foge da dor e busca o prazer”.

Então, justamente pelo ressurgimento do homem velho, a pessoa entra num período de secura e aridez espiritual, sem conseguir se concentrar...

Conteúdo exclusivo para alunos
Aulas do curso
Texto da aula
Material para download
Comentários dos alunos