CNP
Christo Nihil Praeponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Evangelize compartilhando!
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
Fechar

Apresentação do curso

Quando os Iluministas fizeram acusações contra Deus, relacionadas ao problema do mal no mundo e também o da liberdade humana, os filósofos cristãos começaram a tecer de defesa de Deus frente a essas acusações, criando, assim, o termo Teodiceia. É evidente que Deus não precisa de defesa, mas a teologia que surgiu a partir dessas acusações se mostrou bastante útil e complexa.

O Catecismo da Igreja Católica formula e responde essa pergunta crucial:

"Mas por que Deus não criou um mundo tão perfeito que nele não possa existir mal algum? Segundo seu poder infinito, Deus sempre poderia criar algo melhor, Todavia, em sua sabedoria e bondade infinitas, Deus quis livremente criar um mundo em estado de caminhada para sua perfeição última. Este devir permite, no desígnio de Deus, juntamente com o aparecimento de determinados seres, também o desaparecimento de outros, juntamente com o mais perfeito, também o menos imperfeito, juntamente com as construções da natureza, também destruições. Juntamente com o bem físico existe, portanto, o mal físico, enquanto a criação não houver atingido a sua perfeição." (CIC 310)

Uma outra questão estudada pela Teodiceia refere-se as provas da existência de Deus. O Catecismo pode ser o ponto de partida para esta reflexão quando diz:

Criado à imagem de Deus, chamado a conhecer a amar a Deus, o homem que procura a Deus descobre certas vias para aceder ao conhecimento de Deus. Chamamo-las também de provas da existência de Deus, não no sentido das provas que as ciências naturais buscam, mas no sentido de argumentos convergentes e convincentes que permitem chegar a verdadeiras certezas. Estas vias para chegar a Deus têm como ponto de partida a criação: o mundo material e a pessoa humana. (CIC 31)

Estas vias são: o mundo e o homem. Por elas, o homem pode aceder ao conhecimento de uma existência de uma realidade que é a causa primeira e o fim último de tudo, e que todos chamam Deus (CIC 34) O estudo dessas vias de acesso ao conhecimento de Deus, bem como dos mencionados argumentos convergentes e convincentes será o principal objetivo desse curso.

Todavia, mais importante que estudar a teoria acerca desse assunto tão complexo é saber que se Deus existe realmente - e Ele existe - isso deve mudar completamente a forma de o homem viver sua própria existência nesse mundo.

Aulas do curso26 Aulas | 19:17:13
Acesso Livre
01:01:39Introdução ao curso de Teodicéia
01. Introdução ao curso de Teodicéia
Teodiceia é o nome da disciplina que estuda a resposta de Deus ao problema do mal. Neste curso, faremos uma investigação aprofundada das provas da existência de Deus, passando pelo pensamento do...
Acesso Livre
41:27Uma resposta a Kant e os limites da investigação sobre Deus
02. Uma resposta a Kant e os limites da investigação sobre Deus
Nesta aula, Padre Paulo Ricardo traça uma visão geral a respeito da crítica de Kant à metafísica, demonstrando os erros da filosofia modernista, ao mesmo tempo em que indica o caminho das virtud...
44:17O homem que naturalmente busca a Deus
03. O homem que naturalmente busca a Deus
O assunto desta aula é a provocação da filosofia moderna de que a busca do homem por Deus trata-se apenas de um construto social patrocinado pela Igreja. Citando a experiência de Viktor Frankl n...
36:40O homem como tarefa insolúvel e os meios éticos para a sua realização
04. O homem como tarefa insolúvel e os meios éticos para a sua realização
Embora Kant diga que “nenhum conhecimento precede a experiência”, sabemos que o homem é uma tarefa insolúvel, e que, através da razão prática, ele pode encontrar os meios éticos para a realizaçã...
59:51As experiências originárias como vias de acesso à Felicidade Eterna
05. As experiências originárias como vias de acesso à Felicidade Eterna
Nesta aula, Padre Paulo Ricardo explica o significado da experiência originária como meio de acesso à interrogação sobre a Beleza Eterna, ou seja, Deus
57:13Experiência do sofrimento e assertiva do pensamento
06. Experiência do sofrimento e assertiva do pensamento
A dor, assim como o maravilhamento, também faz parte daquelas experiências originárias que nos conduzem à pergunta sobre Deus. Neste itinerário, descobrimos que precisamos ser ateus dos falsos d...
37:46O que significa ter um Deus?
07. O que significa ter um Deus?
O que modifica na vida do ser humano a existência de um Deus a qual tudo está submetido? Nesta aula, Padre Paulo Ricardo expõe os problemas advindos dessa questão
23:10O problema da pergunta
08. O problema da pergunta
Se Deus não pode ser delimitado, como torná-lo objeto de uma investigação filosófica? Estaria Wittgenstein certo ao dizer que “não existem enigmas”? Nesta aula, Padre Paulo Ricardo discorre sobr...
41:29Os limites da razão humana na teologia de Santo Tomás de Aquino
09. Os limites da razão humana na teologia de Santo Tomás de Aquino
Santo Tomás de Aquino, em total contradição com a filosofia modernista, defende que o homem não é capaz de conhecer a essência de Deus. Todavia, o santo trata, na Suma Teológica, de uma questão ...
29:40O homem é capaz de Deus
10. O homem é capaz de Deus
Nesta aula, Padre Paulo Ricardo responde à acusação de Karl Barth quanto à possibilidade de se falar de Deus analogicamente
35:43O falar analógico
11. O falar analógico
Nesta aula, Padre Paulo Ricardo completa o estudo sobre a questão do falar analógico sobre Deus, reportando os aspectos positivos da filosofia de Lévinas
56:14A origem das coisas e a resposta do ateu
12. A origem das coisas e a resposta do ateu
Nesta aula, Padre Paulo Ricardo expõe as dificuldades do ateísmo, bem como as lacunas da teoria evolucionista
25:50O sentido das coisas
13. O sentido das coisas
A pergunta sobre se há um sentido para o universo é comprometedora. Dependendo da resposta, nosso estilo de vida pode ser completamente alterado. Nesta aula, Padre Paulo Ricardo explica as quest...
43:03Sentido das demonstrações
14. Sentido das demonstrações
A existência de Deus imprime um caráter totalmente distinto no agir humano. Se Ele existe então eu não posso ser deus. Essa dificuldade acaba por influenciar na pesquisa de nosso curso, como ver...
35:26As perguntas sobre a existência de Deus
15. As perguntas sobre a existência de Deus
Acaso há uma necessidade da existência de Deus? Sou obrigado a reconhecê-Lo como ser supremo e Senhor de minha vida? Por outro lado, é possível que Deus exista? É lícito pensá-Lo? Essas são as p...
01:01:10Dificuldades do argumento ontológico de Santo Anselmo
16. Dificuldades do argumento ontológico de Santo Anselmo
Começamos nesta aula o estudo sobre as provas da existência de Deus. E o primeiro argumento a ser estudado é o de Santo Anselmo, conhecido como argumento ontológico. Embora apresente uma boa int...
21:28Argumento Noológico
17. Argumento Noológico
Continuamos, nesta aula, o estudo sobre as provas da existência de Deus. Desta vez, buscando entender o argumento noológico de Santo Agostinho. Esse argumento parte da observação de si mesmo, pa...
59:28Argumento Cosmológico
18. Argumento Cosmológico
Nesta aula, Padre Paulo Ricardo explica os argumentos cosmológicos de São Tomás de Aquino para a existência de Deus. Esses argumentos são as três primeiras vias das famosas “cinco vias de São To...
53:26Argumento Teleológico
19. Argumento Teleológico
50:23Argumento Moral
20. Argumento Moral
47:30Fundamento das refutações
21. Fundamento das refutações
57:26Fundamento das refutações - Parte 2
22. Fundamento das refutações - Parte 2
53:52Exemplo de ateísmo
23. Exemplo de ateísmo
31:48Exemplos de ateísmo - Parte 2
24. Exemplos de ateísmo - Parte 2
36:09Exemplos de ateísmo - Albert Camus
25. Exemplos de ateísmo - Albert Camus
55:05Exemplos de ateísmo - Jean Paul Sartre
26. Exemplos de ateísmo - Jean Paul Sartre
Aulas do CursoComentários

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.