CNP
Christo Nihil Præponere"A nada dar mais valor do que a Cristo"
Todos os direitos reservados a padrepauloricardo.org®
PropagandaPropaganda

Conheça os sacramentos da Igreja com o Padre Paulo Ricardo

Conteúdo exclusivo para alunos
Assistir à aula
Preencha seu e-mail
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Erro ao criar a conta. Por favor, tente novamente.
Verifique seus dados e tente novamente.
Use seis ou mais caracteres com uma combinação de letras e números
Verifique seus dados e tente novamente.
Boas-vindas!
Desejamos um ótimo aprendizado.
Texto da aula
Aulas do curso
Texto da aula
Credo Apostólico

Os mistérios da vida pública de Jesus

Jesus é o Cristo desde sempre, mas é possível considerar que Nele existem diferentes e que essas unções são diferentes daquelas derramadas sobre os homens. O Espírito Santo é também derramado sobre o homem, porém, em Jesus Ele permanece. Trata-se do mistério da união hipostática, ou seja, a humanidade de Jesus está unida à pessoa do Filho Eterno que, por sua vez, é eternamente ungido pelo Espírito do Pai.

15

O primeiro mistério da vida pública de Jesus é o seu Batismo no rio Jordão por João Batista, pois ele marca justamente o início da vida pública de Nosso Senhor.

No início do Cristianismo enfatizava-se bastante o fato de Jesus ter recebido o Espírito Santo no momento do seu batismo. Até o surgimento da heresia conhecida como adopcionismo, cuja definição é a seguinte:

"Doutrina sobre a qual Cristo, em sua natureza humana, é considerado o Filho de Deus só por adoção. Essa doutrina compareceu várias vezes na história da Igreja. Foi ensinada por Teodoro, bispo de Mopsuéstia, por volta de 400; foi retomada no séc. VIII por alguns bispos espanhóis, combatida por Alcuíno e condenada pelo Concílio de Frankfurt de 794. Essa doutrina implicava a independência da natureza humana em relação a Deus e, daí, o dualismo entre natureza humana e natureza divina: dualismo inadmissível do ponto de vista da dogmática cristã." [01]

Assim, a heresia pregava a existência de um homem - Jesus - que foi adotado por Deus no dia de seu batismo. Deus teria tomado esse homem e passado a usá-lo. Este pensamento não é da fé católica e foi rechaçado primeiramente no Sínodo de Toledo, iniciado...

Conteúdo exclusivo para alunos
Aulas do curso
Texto da aula
Material para download
Comentários dos alunos